Mães de jovens mortos em Luziânia recebem homenagem

Cinco das seis mães estiveram presente em audiência pública nesta quinta

A mães de seis jovens que foram mortos em Luziânia (GO) receberam uma homenagem da Comissão de Direitos Humanos (CDH), na manhã desta quinta-feira (6), em comemoração pelo Dia das Mães. Elas cobraram rapidez na identificação dos corpos, encontrados no dia 10 de abril. Segundo o grupo de mães, a demora na conclusão dos exames de DNA impede que elas possam fazer o sepultamento dos filhos. Eles foram mortos pelo pedreiro Adimar da Silva, que foi preso em 10 de abril e encontrado morto oito dias depois, na cela do Denarc de Goiânia.

O senador Cristovam Buarque (PDT-DF), presidente da CDH, demonstrou solidariedade ao grupo de mães e informou que pretende fazer ações que impeçam que o caso caia em esquecimento. Ele também cobrou a aprovação da Agência Nacional de Proteção à Criança e ao Adolescente.

Compareceram ao evento Valdirene Fernandes, mãe de Flávio; Sônia Lima, mãe de Paulo Vitor; Sirlene Rabelo, mãe de George; Aldenira Alves, mãe de Diego; e Maria Lúcia, mãe de Márcio. Apenas Marisa Lopes, mãe de Divino, não foi à homenagem por ter um outro compromisso particular. "Espero que eu possa passar o Dia das Mães com o resultado do DNA pronto e saber se meu filho está entre os corpos que foram encontrados pela polícia", disse Marisa, que tem esperanças que seu filho ainda esteja vivo.

Sirlene Rabelo afirmou que está juntando forças para conseguir realizar o enterro do filho. "Essa audiência é uma ocasião para poder cobrar ações do governo, pois ainda há muita coisa a ser esclarecida depois da morte do pedreiro."

Segundo informações da Polícia Federal, responsável pela realização do exame de DNA para identificar os corpos das vítimas, o laudo com o resultado da análise ainda não ficou pronto, apesar de o prazo previsto já ter se esgotado. O laudo que vai apontar as causas da morte do pedreiro também não ficou pronto. O sepultamendo do corpo dele foi proibido pela Justiça até que a investigação sobre a morte dele seja concluída.

Fonte: g1, www.g1.com.br