Mais 10 alunos do PI viajam em intercâmbio para exterior

Mais 10 alunos do PI viajam em intercâmbio para exterior

O destino dos alunos da rede pública é a Nova Zelândia, onde ficarão por seis meses. Ao todo, 120 jovens saíram do Piauí para estudar em outros países

Mais dez estudantes embarcaram na última terça-feira (04) para estudar fora do país, através do projeto Intercâmbio Estadual Aprender é uma Viagem. Desta vez, os adolescentes vão para a Nova Zelândia, onde ficarão por seis meses. Os estudantes fazem parte do grupo de 120 alunos da rede pública estadual.

Com os dez embarcados ontem, já são 90 alunos que foram para países de línguas inglesa e espanhola. Até agora foram dez para os Estados Unidos, dez para a Espanha, 60 para o Canadá, além dos dez que partiram ontem para a Nova Zelândia. Faltam ainda 15, que irão para o Chile e mais 15 que serão destinados à Argentina.

Eles estão embarcando de acordo com o calendário escolar de cada país. Para a Argentina, o grupo de estudantes embarcará no dia 21 de fevereiro. Já para o Chile, a data ainda será confirmada. No total, são 80 alunos que irão para países de língua inglesa e 40 de língua espanhola.

?Este projeto é muito positivo para os estudantes e para as escolas onde eles estudam, pois quando voltarem vão trazer muito conhecimento na bagagem?, disse a coordenadora do Intercâmbio, Ivanilde Castro. Ontem, embarcaram cinco estudantes de escolas de Teresina, um de Picos, um de Itainópolis, um de Valença, um de Piripiri e um de Parnaíba.

Nesse grupo está a estudante da Unidade Escolar Aristela Soares Lima, no Bairro Porto Alegre, Fabíola Gomes, de 16 anos. Ela conta que a conquista teve um gostinho muito especial, principalmente pelas dificuldades que ela enfrenta diariamente para ir à escola. Ela que mora no Portal da Alegria, quando não tem dinheiro para pagar o ônibus, enfrenta uma caminhada de meia hora para chegar à escola.

?Estou muito feliz. Nunca saí nem do Piauí e agora vou morar por seis meses fora do país. Estou emocionada, nem consigo explicar o que estou sentindo. É emoção, alegria, frio na barriga, mas também já estou com saudade, mas confiante de que tudo dará certo?, pontuou.

Para a mãe da estudante, Maria do Desterro, que sustenta a família exercendo a função de doméstica, auxiliada por seu marido, que é lavrador, este é um momento em que as emoções se misturam.

Ela afirma que é um sonho realizado. ?Eu sempre quis estudar, mas não consegui ir muito longe, pois engravidei muito cedo, mas sempre disse que daria aos meus filhos a oportunidade que eu não tive, então estou muito feliz e confiante?, disse.

Quanto aos outros alunos que participaram do projeto Aprender é uma Viagem e que não foram selecionados para os destinos internacionais, o Governo do Estado irá custear um período de imersão.

De 22 a 30 de março, estes alunos serão hospedados em Luís Correia, no litoral do Piauí, onde só poderão falar a língua estrangeira que escolheram no começo no projeto. Esta é uma forma deles também vivenciarem um momento de aprendizado na prática.

Seis estudantes do Piauí vão estudar em SC

Abrir mão do convívio familiar em busca do sonho de seguir carreira na dança. É assim que estudantes de várias partes do país se dirigem a Joinvile, Santa Catarina, lugar que sedia a única representação da Escola do Teatro Bolshoi fora da Rússia.

Do Piauí, seis estudantes da rede pública ingressam na escola este ano. Eles embarcarão no próximo sábado (8), e com o apoio do Governo do Estado e da Prefeitura de Teresina fixarão moradia no Sul do país por oito longos anos.

No último mês de setembro, uma média de 60 crianças oriundas de todas as escolas de ensino fundamental do Estado participou da pré-seleção para ingressar na Escola.

Apenas seis da rede estadual de ensino seguiram para Joinvile, em outubro, para a audição final, e destas, apenas três conquistaram as vagas: Iuri Santos Campelo, Alexandro Pereira da Silva Filho e Izabela de Andrade dos Santos. Junto com eles, vão mais três alunos da rede municipal.

Desde cedo, a mãe de Alexandro Pereira, Karina Amorim, percebeu o talento do garoto, com apenas oito anos à época, para a dança, comprovado com a conquista do primeiro lugar no primeiro festival que participou .

Para ela, incentivar o sonho do filho, hoje com 11 anos, é prioridade. "Essa é uma oportunidade única, embora eu vá ficar com o coração apertado. É um sonho concretizado saber que ele vai para uma formação com a certeza que vai ser alguém na vida", realça a mãe.

Com a mesma ansiedade e orgulho, o jovem admite que esteja pronto para agarrar com afinco a oportunidade de se tornar um profissional de respeito. "Eu consegui a chance que poucas pessoas têm. Desde cedo, gosto da dança e estou preparado para isso", enfatiza o estudante.

Nos moldes da Escola Coreográfica de Moscou, a Escola Bolshoi no Brasil tem um regime de internato e ajusta ensino e cultura para formação de bailarinos profissionais.

Há mais de 10 anos, o Governo do Piauí e a Prefeitura de Teresina mantêm uma parceria com a escola e oferta bolsas de estudos para crianças de escolas públicas. Já foram enviados 14 estudantes desde então. Nove já se formaram e seguem carreira em companhias de dança do mundo todo.

De acordo com a coordenadora do programa Mais Educação, Sylvia Suzane Ribeiro, o Governo se preocupa e se responsabiliza pelo embarque e manutenção das crianças, que fixam moradia em lares de famílias locais.

"O convênio garante hospedagem, alimentação, assistência médica e acesso a transporte, uniformes e figurinos, além de acompanhamento na escola e atividades de lazer.

É uma oportunidade única de desenvolvimento de uma habilidade que eles já têm e de ingresso no mundo da cultura, que eles, nem sempre, tinham acesso aqui", destaca.

Assim é que o sonho de muitas famílias se realiza. Com a oportunidade, há possibilidade de transformação no seio que cada criança convive.

Fonte: Pollyana Carvalho