Mais de 27 mil processos julgados pelo projeto Justiça Itinerante

A iniciativa encerra os atendimentos na região do bairro Piçarra, zona sul de Teresina.

Desde a sua fundação, em dezembro de 2003, o projeto Justiça Itinerante já julgou mais de 27.700 processos, relativos às mais diversas demandas. Hoje, a iniciativa encerra os atendimentos na região do bairro Piçarra, zona sul de Teresina.

Desde segunda- feira (31/01), a iniciativa disponibiliza serviços nas proximidades da Igreja Batista Nacional Filadélfia, e encerra hoje a presença na região.

Nesses quatro dias, a população da Piçarra teve acesso aos serviços oferecidos pelo projeto: divórcio consensual, separação consensual, suprimento de registro de nascimento e de óbito, retificação de registro de nascimento, casamento e óbito (erro gráfico de nome, data de nascimento errada, profissão errada etc), reconhecimento de paternidade, acordo extrajudicial de pensão alimentícia, homologação de acordo de pensão alimentícia, exame de DNA (pago R$ 199,00 trio ou duo), alistamento militar, carteira de trabalho, 2ª via de registro de nascimento, casamento e óbito e realização de casamentos comunitários.

“Não existem processos pendentes no âmbito da Justiça Itinerante. Todos os casos que passaram por nós foram autuados, julgados e sentenciados. Já percorremos mais de 60 municípios no estado e mais de 50 localidades na capital”, disse Giovana de Oliveira Areas, subdiretora de secretaria do projeto Justiça Itinerante.

Ainda segundo Giovana, os divórcios lideram o ranking dos serviços solicitados na capital. Atualmente, o projeto é coordenado pelo juiz Jorge da Costa Veloso, e supervisionado pelo desembargador Edvaldo Moura. A Justiça Itinerante é uma iniciativa do Tribunal de Justiça, em parceria com diversas instituições.

Fonte: Dowglas Lima