Mais três corpos são achados e mortos em naufrágio no Pará chegam a 13

Segundo bombeiros, há pelo menos duas pessoas desaparecidas

 Mais três pessoas vítimas do naufrágio no Rio Amazonas, no Pará, foram encontradas, o que elevou para 13 o número de mortes. O acidente aconteceu entre os municípios de Prainha e Monte Alegre, na noite de segunda-feira (21). No total, 94 pessoas foram resgatadas com vida. O corpo de um homem, que era o gerente da embarcação, foi encontrado por volta das 22h de quarta-feira (23).

Na manhã desta quinta (24), duas mulheres foram achadas. Segundo o Corpo de Bombeiros, o homem e uma das mulheres estavam na lista de desaparecidos, no entanto, ainda não há confirmação sobre a outra mulher. "Pode ser que essa mulher seja outra pessoa. Por conta disso, o número de pessoas desaparecidas pode ser de dois ou três. Essa vítima ainda precisará ser identificada", afirmou ao G1 o sargento do Corpo de Bombeiros Maclean Santos.

Equipes com 14 bombeiros mergulhadores seguem com as buscas no local do acidente. Eles procuram vítimas que teriam ficado presas no interior da embarcação. Segundo testemunhas, a embarcação tombou após bater em um banco de areia. O barco estaria transportando excesso de passageiros e bagagem. A Policia Civil pediu a prisão preventiva do comandante da embarcação. A Marinha abriu um inquérito para apurar as causas do acidente.

Acidente

O barco motor, chamado Almirante Barroso, com capacidade para cerca de cem pessoas, fazia o trajeto Monte Dourado, Almeirim, Prainha e Monte Alegre, com destino final em Santarém (PA). O acidente aconteceu quando a embarcação seguia de Prainha para Monte Alegre, numa localidade conhecida como Farol do Peregrino. Segundo Souza Silva, o barco bateu num banco de areia e virou. Segundo os bombeiros, a comunicação do acidente às autoridades foi feita pelo proprietário do barco, que estava em Santarém, às 2h25 desta terça.

O dono teria recebido as informações por telefone de um tripulante, que contou que o acidente ocorrera por volta das 22h. Segundo o major Lima, ainda não há dados sobre se a embarcação estava em situação irregular ou não.

Fonte: g1, www.g1.com.br