Manifestantes incendeiam hotel durante protesto contra a Otan em cidade francesa

Ocorreram confrontos entre policiais e manifestantes, com direito a balas de borracha

Dez manifestantes feridos, edifícios arrasados e incendiados pelos militantes mais radicais e muitos outros danos materiais: este foi o resultado do grande protesto contra a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) realizado neste sábado (4) na cidade francesa de Estrasburgo.

Segundo um comunicado emitido pelo departamento francês do Baixo Reno, região onde fica Estrasburgo, os dez manifestantes ficaram "levemente feridos".

A nota oficial também diz que dez mil pessoas participaram da manifestação, frente às 30 mil calculadas por seus organizadores.

Além destes, cerca de dez mil militantes antiglobalização ficaram presos do lado alemão da fronteira com a França, já que tiveram sua passagem impedida por forças de segurança.

O lado francês passou pelos distúrbios mais violentos de todo o período da cúpula da Otan. Horas antes do início da manifestação, 30 pessoas já haviam sido detidas.

Vestidos de preto e com o rosto coberto, alguns manifestantes incendiaram um hotel, o escritório da alfândega do antigo posto fronteiriço e um escritório de turismo.

A Prefeitura calcula em mil os radicais que protagonizaram os atos de violência, pertencentes ao chamado "black block" ("bloco preto", em tradução livre).

O grupo também saqueou uma farmácia, um posto de gasolina e acabaram com todo o mobiliário urbano que encontraram pela frente.

Ocorreram confrontos entre policiais e manifestantes, com direito a balas de borracha e gás lacrimogêneo, a poucos metros de onde os chefes de Estado e do Governo da Otan fizeram sua foto oficial horas antes.

O percurso de uma manifestação contra a organização, mas de cunho pacífico, sofreu variações estipuladas pelas forças de segurança para evitar passar por zonas próximas às que estavam sendo palco dos distúrbios mais graves.

Alguns moradores da zona expressaram sua raiva pelo ocorrido e denunciaram que o centro da cidade estava fortemente protegido, enquanto que seus bairros foram totalmente destroçados pelos radicais.

Fonte: g1, www.g1.com.br