Marcha da Maconha reúne cerca de 500 pessoas na ruas do Recife

Além da caminhada, debate acontece na próxima quarta, na Fafire

A oitava edição da Marcha da Maconha do Recife reuniu, neste domingo (04), cerca de 500 pessoas no centro do Recife, de acordo com estimativa da Polícia Militar. O grupo, que se concentrou na Praça do Derby, área central da cidade, reivindica mais debate para discutir a legislação que criminaliza o usuário de drogas no Brasil. A passeata deixou a concentração pouco antes das 17h.

A organizadora da Marcha, Ingrid Farias, explica que essa é a oportunidade de fazer a população debater o tema. "É mais do que discutir a questão da maconha pelo lazer, tem o lado medicinal que precisa ser visto. Vamos abordar as drogas pelo viés cultural, político, que atinge a população negra e periférica", afirmou Ingrid.

Mesmo com chuva, o grupo seguiu pela Avenida Conde da Boa Vista, em passeata até o Cais da Alfândega. "Vamos ter atrações culturais, como Isaar", explica Ingrid, acrescentando que o debate continua na quarta-feira (07), com um seminario as 18h na Faculdade Frassineti do Recife (Fafire), com convidados como o médico de saúde da família Rodrigo Cariri e Raquel Peraldi, assessora do presidente do Uruguai, José Mujica -- no país sul-americano, a regulamentação do consumo recreativo da maconha foi divulgada pelo governo na última sexta-feira (02).

A caminhada foi acompanhada por integrantes do maracatu Tambores de la Revolución, além de malabaristas e artistas. O desempregado Ruan Dantas personalizou a bicicleta para levantar a bandeira da legalização. "Protestam por tanta coisa, eu acho justo protestar pelo meu bem estar", aponta.


Marcha da Maconha re佖e cerca de 500 pessoas na ruas do Recife

Marcha da Maconha re佖e cerca de 500 pessoas na ruas do Recife

Fonte: G1