Maria do Rosário desmente 'boato' sobre ela nas redes sociais

Ela disse que acionará na justiça o deputado que a chamou de 'vaca'

A deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) disse nesta quinta-feira (10), nas redes sociais, que vai acionar judicialmente o deputado estadual Cabo Júlio (PMDB-MG) por ele ter chamado ela de "vaca"durante um pronunicamento feito por ele nesta quarta-feira (9). 

O políticou xingou a deputada devido acreditar que ela teria feito uma declaração contra o policial militar e motorista da Uber que matou três criminosos que tentaram assaltá-lo, em São Paulo, no último sábado.

Uma montagem vem sendo compartilhada nas redes sociais mostrando uma notícia do ocorrido ao lado das fotos dos suspeitos e um "print"de uma falsa declaração da deputada na qual está escrito:  "Era bom que a sociedade parasse para pensar: Hoje temos 3 famílias chorando em razão da ação desse PM opressor. Caso ele não tivesse reagido apenas uma família choraria, assim, o prejuízo teria sido menor para a sociedade".


Montagem feita com a deputada Maria do Rosário
Montagem feita com a deputada Maria do Rosário


O deputado estadual Cabo Júlio comentou a falsa publicação dudrante um discurso no plenário sa Assembleia Legislativa, onde xingou Maria do Rosário.

"O que que essa, me perdoem a palavra, essa vaca estava dizendo? Estava dizendo que não era para o policial vítima do assalto ter reagido. Que se ele não tivesse reagido, ele morreria e somente a família dele iria chorar. Uma vez que ele ele reagiu aos assaltantes que colocaram sua vida em risco e trocou tiro com os bandidos e os três bandidos morreram, serão três famílias para chorar e não um. Ora isso é um absurdo!", condenou Cabo Júlio.

"Para dizer uma bobagem dessa era melhor que essa vaca calasse a boca. Se ela está com pena, leva esses bandidos para a casa dela", acrescentou ele, que pediu a todos que repudiassem a deputada.


Após a repercussão do caso, Maria do Rosário desmentiu o boato sobre sua falsa declaração e disse que irá buscar uma representação judicial contra Cabo Júlio.

No post, ela diz:

"Está rolando nas redes sociais uma montagem grosseira que imputa ao nosso mandato um posicionamento falso sobre o caso do assalto ao motorista do Uber em São Paulo.

Já esclarecemos o fato por nossas páginas oficiais desde ontem. Aliás, agradecemos a quem está combatendo essa calúnia e compartilha conosco a esperança de um país digno e justo. Também agradecemos as entidades de classe, portais e meios de comunicação que trouxeram a verdade à tona. Após tantos desmentidos, acreditávamos que a situação estava superada.

Eis que surge um deputado estadual de Minas Gerais, chamado Cabo Júlio, falando os maiores absurdos sobre o caso, proferindo palavras que ferem a dignidade de qualquer mulher brasileira, fato que nos causa profunda indignação. Representaremos judicialmente contra este deputado que deveria ter o mínimo de responsabilidade em checar os fatos sobre os quais se pronuncia e deve rever profundamente seus conceitos sobre a vida, sobre as mulheres e sobre o seu papel no parlamento.

Ao contrário do que as calúnias falam, defendemos uma segurança pública com cidadania e seguiremos agindo assim, porque defendemos a justiça. Aos caluniadores, assim como para qualquer criminoso, defendemos o rigor da lei".


Em uma publicação anterior, ela condenou a montagem.

"MAIS UMA MENTIRA

A dignidade e a justiça de nosso trabalho seguidamente são atacadas por notícias falsas que rolam pela internet.

Falsificar tweets e postagens se tornou fácil com programas de computador. Tentam atacar nosso mandato com cards falsos, como este, que caluniosamente afirmam que a deputada Maria do Rosário declarou posicionamentos aos quais ela nunca proferiu. Aliás, é tão grosseira a montagem que imputa a declaração dois dias antes do fato acontecer. O caso ocorreu em 6 de novembro e o pronunciamento teria ocorrido no dia 4".






Fonte: Extra