Médicos fazem novo protesto nesta quinta-feira

Médicos fazem novo protesto nesta quinta-feira

O Sindicato dos Médicos (Simepi) já informou que a greve poderá se estender.

Um ato de protesto realizado no começo da manhã de ontem (05) em frente ao ambulatório do Hospital Getúlio Vargas (HGV) marcou o início de mais uma paralisação da categoria médica no Piauí. Os médicos vinculados à rede pública municipal e estadual de saúde interromperam parcialmente suas atividades até sexta-feira (09).

Nesse período os médicos estão deixando de atender aos casos eletivos, atendendo apenas os pacientes em quadro de urgência e emergência. Os médicos reúnem- se novamente amanhã (07), em novo protesto em frente ao Centro de Saúde Lineu Araújo, a partir das 7h.

O Sindicato dos Médicos (Simepi) já informou que a greve poderá se estender por mais tempo, caso a categoria não consiga diálogo com as autoridades.

Os profissionais da rede estadual reivindicam reajuste salarial, em conformidade com a remuneração aprovada pela Federação Nacional dos Médicos (FENAM), que estabelece piso no valor de R$ 9.188,22; cumprimento das leis que tratam da Progressão da Carreira Médica e da insalubridade, que é paga de maneira ilegal. Hoje os médicos recebem o mesmo adicional de insalubridade no valor de R$ 400, quando, segundo a categoria, o correto seria o pagamento que varia de 10% a 40% sobre o vencimento do médico.

Até agora, apenas a Fundação Municipal de Saúde (FMS) sinalizou possibilidades de negociação. De acordo com o tesoureiro do Simepi, Renato Leal, o presidente da fundação, José Ayrton Santos Júnior, chegou a desmarcar de forma não oficial (através de mensagem de celular) a reunião que estava agendada para esta quinta, mas posteriormente remarcou o encontro, e reuniu-se com os médicos ainda ontem.

Segundo o Simepi, os médicos vinculados ao município de Parnaíba e ao município de Picos aderiram, no último sábado, à paralisação de cinco dias, iniciada ontem pela categoria. A medida faz coro às reivindicações levantadas pelos médicos ligados à Sesapi e à FMS, em Teresina.

Assim como na capital e nos hospitais pertencentes ao Estado, nessas duas cidades serão realizados apenas os atendimentos de urgência e emergência. Os atendimentos eletivos, como cirurgias, exames, consultas ambulatoriais e atendimentos do Programa Saúde da Família (PSF) estarão suspensos.

?Médicos tiveram aumento de 61,81%?

As mudanças na saúde do Piauí passam pela valorização dos profissionais da área. E os médicos são um exemplo dessa atenção: nos últimos dois anos, os médicos em atividade foram contemplados com aumento de 61,81% em seus vencimentos.

O aumento chegou a 161,23% para os médicos aposentados e 157,57% para os pensionistas, afirmou na segunda-feira. Segundo ele, já em janeiro de 2012 foi concedido um novo aumento para todos os médicos (Ativos, Inativos e Pensionistas) de 7,1%.

Esses índices representam um reajuste bem superior à grande maioria das categorias e colocam o Piauí como o Estado que paga o sexto maior salário para esses profissionais, apesar de ser apenas a 23ª economia do país.

O valor pago pelos plantões também aumentou consideravelmente, saindo de R$ 360 para R$ 1.000 (aumento de 277%). No caso dessa categoria, a reivindicação de um piso nacional é ainda apenas um indicativo, uma vez que a discussão não chegou a consenso até agora.

?Investimentos na ampliação e reforma da estrutura física de unidades hospitalares e na aquisição de equipamentos também buscam garantir melhores condições de trabalho para todos os profissionais de saúde. Só em 2012, a previsão é de investimento de R$ 61,54 milhões em obras de construção e reforma de unidades hospitalares por todo o Piauí?, acrescentou.

Ele disse que, ao longo de 2011, mais de R$ 13 milhões foram investidos na aquisição de equipamentos. Os investimentos já mostram resultados, com a melhor resolutividade dos hospitais regionais, no interior do Estado, que recorrem cada vez menos à estrutura hospitalar da capital.

Foram implantadas UTIs nas cidades de Floriano (10 leitos), Piripiri (10 leitos), UTI de cirurgia cardíaca no HGV (10 leitos). Até o final deste semestre deve ser inaugurada a UTI de Oeiras. A Sesapi ampliou o quadro de servidores. Em 2011 e em 2012, foram chamados todos os concursados técnicos em enfermagem para dar suporte às Unidades de Saúde.

Outra medida importante adotada no final do exercício de 2011 foi o processo de contratação de equipes de profissionais de ortopedistas e anestesistas, em especial, para Parnaíba, Campo Maior, Floriano, Piripiri, Picos e Oeiras.

?As mudanças estão em toda parte, incluindo a melhoria nas condições de trabalho e o aumento dos salários dos profissionais do setor. Este é um trabalho que não para. Porque uma saúde de qualidade é parte da obrigação do poder público e compromisso do Governo do Piauí?, falou o governador.

Fonte: Dowglas Lima