Melhor escola da rede estadual obteve 80% de aprovação no Enem

O resultado não é por acaso

O Centro de Ensino Médio de Tempo Integral (Cemti) João Henrique de Almeida Sousa é a melhor escola estadual localizada em Teresina, de acordo com o resultado do desempenho dos alunos que realizaram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2014.

Em ranking divulgado na quarta-feira (05) pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC), o Cemti João Henrique de Almeida Sousa é, ainda, a segunda melhor escola estadual do Piauí, ficando atrás apenas da premiada Escola Estadual Augustinho Brandão, situada no município de Cocal dos Alves, distante 230 quilômetros de Teresina.

Na edição mais recente do Enem, o Cemti João Henrique atingiu a média geral de 528,2 pontos. De acordo com a diretora da escola, Djanira Alencar, esse índice vem se repetindo nos últimos anos.

“Nossos alunos têm resultados positivos todos os anos, desde 2011. Somos reconhecidos pela alta porcentagem de aprovação nos vestibulares”, conta a diretora.

O resultado não é por acaso. O comprometimento da equipe de professores em querer oferecer aos alunos educação de qualidade se destaca como principal fator contribuinte para o sucesso no ensino da escola.

O reflexo desse trabalho aparece quando o resultado dos vestibulares é divulgado. Conforme a direção, dos 65 alunos matriculados no 3º ano do ensino médio da escola, 52 [80%] foram aprovados nos exames, inclusive em cursos concorridos, como Engenharia Civil e Direito.

“Também tivemos alunos do 2º ano do ensino médio que responderam as provas do Enem e conseguiram aprovação. Tivemos uma média de 40% de aprovação”, completa, orgulhosa, Djanira Alencar. Diante dos bons números, o Cemti é bastante procurado por pais de alunos no período de matrícula.

É necessário, inclusive, que seja aplicado um teste seletivo por conta da alta demanda. A direção da escola afirma que em 2015, cerca de 800 alunos quiseram se inscrever no 3º ano do ensino médio da unidade, mas foram ofertadas apenas 120 vagas.

“Isso acontece porque também temos muitos alunos de outras cidades do Piauí. Não atendemos apenas a comunidade do Bairro Morada Nova, onde a escola é localizada, mas também estudantes de bairros distantes e de outros municípios piauien-ses”, conta a diretora Djanira Alencar.

Alunos aprovam: "Pensava que ensino público era bagunça e me enganei"

Os protagonistas do bom desempenho da Cemti João Henrique de Almeida Sousa são os alunos. Igor José Aves, 16, saiu da cidade de Castelo do Piauí, distante 190 quilômetros de Teresina, para poder cursar o ensino médio na escola.

Aluno desde o 1º ano do Cemti, Igor José, agora na 3ª série do ensino médio, afirma que sempre soube que a unidade escolar João Henrique de Almeida Sousa era o lugar certo para ele se matricular. "Outras pessoas de Castelo do Piauí já estudaram aqui e eu sabia que o ensino era bom.

Não é desprezando as outras escolas estaduais, mas nessa, o ensino é diferente e até melhor do que é ofertado em escolas particulares", considera o jovem que neste ano vai tentar vestibular para o curso de Arquitetura.

Bárbara Maria Veloso, 17, estudou durante todo ensino fundamental em escolas da rede privada , mas no ensino médio teve que se matricular no Cemti João Henrique. A jovem estudante conta que "achava que escola pública era bagunça'', mas que se enganou.

"Me apaixonei por essa escola e já decidi que quando eu concluir o ensino médio vou querer ser voluntária no Cemti", conta a menina. Inteligente, Bárbara faz o 3º ano e ainda no 2º ano foi aprovada em três vestibulares de faculdades privadas de Teresina. "Vou continuar tentando, pois o meu sonho mesmo é ter a aprovação no curso de Engenharia Civil, da Universidade Federal do Piauí", fala.

Com apenas 16 anos, Francisco Fernando Alves fez o Enem como treineiro e obteve a nota de 800 pontos na redação do exame. "A qualidade e a melhor estrutura da escola fizeram com que eu atingisse esse resultado.

Eu estudava em outra escola pública e notei o contraste quando entrei no Cemti", conta o rapaz, que neste ano vai concorrer a uma vaga no curso de Relações Institucionais da Universidade de Brasília.

Parceira fortalece ações

A diretora Djanira Alencar explica que a atual gestão tem aprimorado parceria com a Secretaria Estadual de Educação. A Seduc oportuniza que a carga horária de aulas seja maior na Cemti João Henrique de Almeida Sousa.

"Se a quantidade de aulas que temos que ministrar são cinco, aqui trabalhamos com seis, pois trabalhamos com várias frentes de ensino", acrescenta a diretora Djanira.

Os alunos do Cemti João Henrique de Almeida Sousa possuem, também, oficinas de redação, que são determinantes para o bom desempenho dos estudantes no Enem.

A Secretaria Estadual de Educação, de acordo com a diretora, sempre atende às demandas da gestão escolar. Recentemente, novos condicionadores de ar foram encaminhados ao Cemti João Henrique de Almeida Sousa.

Fonte: Virgínia Santos e Izabella Pimentel