Menino de 13 anos é agredido por professor por estar fora da sala

Menino de 13 anos é agredido por professor por estar fora da sala

Docente foi afastado do cargo por tempo indeterminado.

"O professor me segurou, me levou pro pátio, me deu um tapa no peito e me chamou de demente e retardado", descreve o aluno de 13 anos agredido por um professor na Escola Estadual "Ezequiel Machado do Nascimento", em Sorocaba (SP). Após o episódio, ocorrido na sexta-feira (17), a direção da instituição afastou o docente do cargo por tempo indeterminado.

A mãe do aluno conta que o professor bateu no menino por vê-lo fora da sala durante a aula. Segundo o boletim de ocorrência, registrado por ela no sábado (18), o garoto assistia à aula, por volta das 18h de sexta-feira, quando sua borracha caiu no chão e rolou para o corredor. O menino saiu para pegar o objeto e foi surpreendido por um professor que passava pelo local - e que não faz parte do quadro de docentes que dá aula para o garoto. Funcionárias da escola tiveram que intervir para que o professor soltasse o menino.

"Eu estava saindo para trabalhar quando me ligaram da escola avisando. Meu marido foi até lá, mas a direção disse que o professor era conhecido por ter problemas de comportamento e que era para tomarmos as medidas cabíveis. Por isso fui até a delegacia registrar a ocorrência", explica a mãe.

Ela conta que o menino só aceitou voltar ao local porque soube que não encontraria o professor que o agrediu. "Ele ficou muito assustado, teve dor de cabeça e até febre no dia seguinte. Eu levo meus filhos para a escola porque sei que eles vão aprender e estar em segurança, aí acontece esse absurdo", diz.

Em nota à reportagem do G1, a Secretaria da Educação confirma o episódio, que classifica de "inadmissível". Segundo a pasta, o docente foi afastado temporariamente de sua função e foi advertido pela direção da escola, que solicitou a ele procurar auxílio médico.

"A Diretoria Regional de Ensino de Sorocaba instaurou apuração preliminar para averiguar os fatos. Após a conclusão da apuração, serão adotadas as medidas cabíveis", diz a nota.

Mesmo com o afastamento do docente, Tatiana vai voltar à delegacia no próximo dia 26 para dar andamento à ocorrência. "Daqui a pouco os alunos saem de férias e o caso pode cair no esquecimento. Não quero que meu filho corra o risco de apanhar de novo quando o professor voltar a dar aula", conclui.

Fonte: G1