Menino de 2 anos morre após ficar sem atendimento em UTI

Menino de 2 anos morre após ficar sem atendimento em UTI

Pais procuraram ajuda na Justiça, mas não foram atendidos no MP

Um menino de dois anos morreu na manhã do último domingo (10) esperando por uma vaga para internação em UTI no Distrito Federal. De acordo com os exames realizados pelos médicos, a criança estava com meningite.

A família conta que o menino foi internado no Hospital Regional do Paranoá (HRP), a cerca de 20 Km de Brasília, na madrugada de sábado (9) com febre, dores na cabeça, no ouvido e tontura. O resultado dos exames apontou meningite. A médica teria tentado uma vaga de UTI na rede pública, mas não conseguiu.

?Vi meu filho morrendo. O entra e sai de médico, mas ninguém resolvia nada. Era a mãe correndo de um lado e o meu filho morrendo de outro?, desabafa o pai da criança.

Os pais foram orientados a procurar o Ministério Público do Distrito Federal para tentar pela Justiça a internação num leito na rede privada, já que o laudo indicava risco iminente de morte. Quando a mãe e a avó do menino chegaram ao prédio do MP, por volta das 9h, foram encaminhadas à Defensoria Pública.

?A gente foi ao MP e falaram que só ia começar a atender às 13h. Foi o tempo de o neném morrer e nós fomos embora. Informaram que não podiam fazer nada, a única coisa que podia fazer era esperar a vinda do juiz?, conta a avó.

O plantão do Ministério Público e da Defensoria funciona no fórum, que fica próximo à nova Rodoviária Interestadual. Durante a semana, o atendimento é feito das 6h à 24h. Mas nos fins de semana e feriados só há plantonistas das 13h às 19h. Os horários do plantão judiciário são determinados numa portaria do Tribunal de Justiça. A Defensoria Pública não retornou as ligações da equipe de produção do Bom Dia DF.

A Secretaria de Saúde informou que não havia vaga em nenhum leito de UTI. A central de regulação tentou em todos os hospitais públicos e particulares conveniados.

Fonte: g1, www.g1.com.br