Menino que mora em hospital completa 1 ano e precisa de R$ 50 mil

Menino que mora em hospital completa 1 ano e precisa de R$ 50 mil

Por causa de uma doença, ele permanece internado desde que nasceu.

O garotinho Michael Ryan Znidareis, de 1 ano, nunca foi para casa. No dia 14 de abril de 2012 ele nasceu prematuro. Logo após o parto, Michael foi levado para a UTI da Santa Casa de Poços de Caldas (MG) por complicações de uma doença que causa o enfraquecimento dos músculos, e desde então, não saiu de lá. Para conseguir levá-lo pra casa, os pais precisam comprar um aparelho do qual eles não têm condições de pagar.

Neste domingo (14), Michael completou 1 ano e a festa foi na Santa Casa. A família estava toda reunida e o quartinho dele ficou até pequeno pra tanta gente que queria celebrar a data com o pequeno guerreiro. Desde muito cedo, ele aprende a lutar pela vida, o que não impede o sorriso fácil do menino. Era de se esperar que Michael se tornasse o xodó da ala pediátrica. "Todos os dias vem as meninas de outros setores, passam aqui para vê-lo, falar um oi. Todo mundo gosta dele", conta a enfermeira Thais Abreu.

Michael nasceu prematuro em um parto de emergência, e logo depois do nascimento, ele permaneceu na UTI. Na época, os médicos não acreditavam que ele poderia sobreviver. "Ele era uma criança bem molinha mesmo, não dava sinal nenhum, não chorava. Nada, nada mesmo" lembra a mãe, Jéssica Aparecida da Silva Ferreira.

Michael tem uma doença que causa o enfraquecimento dos músculos. O menino já passou por três cirurgias para facilitar a respiração e a alimentação, e o tratamento tem dado certo. "Ele tem respondido bem ao tratamento, apesar de ser uma patologia congênita e uma doença crônica. Ele pode obter a longo prazo e com tratamento suporte melhoras, no sentido de uma vida mais estável", explica o pediatra João Ronaldo Andrade Leite.

A esperança da família se renova a cada dia. O Michael já recebeu alta, mas ele precisa continuar o tratamento mesmo estando fora daqui. Um aparelho que auxilia na respiração é essencial pra isso, mas o equipamento é caro. Segundo os médicos, custa cerca de R$ 50 mil, dinheiro que a família ainda não tem. A mãe já procurou ajuda e agora tenta conseguir o aparelho na Justiça. "É muito ruim, porque quanto mais ele fica aqui, mais infecção ele pega, e o pulmãozinho dele, um lado já é prejudicado. Então vai indo, ele não aguenta mesmo", diz a mãe, Jéssica.

Em casa, o quartinho dele está quase pronto. Há um ano ele é preparado pra receber o Michael, e o que a família mais deseja é ver o menino em casa, bem perto de todos. "É um sonho que a gente pede a Deus, pra ele trazer ele pra gente, porque é possível ele vira pra casa, então não tem porque ele ficar lá", diz a avó Andréia Aparecida Fernandes Gonçalves. "O que eu quero é ele vivo do meu lado", finaliza a mãe, emocionada.

A família está fazendo uma campanha para arrecadar o dinheiro para a compra do aparelho repiratório. Quem quiser ajudar, pode depositar qualquer valor na conta de Michael Ryan Znidareis - Banco Itaú - Agência 0267 - C/C 05349-4/500.

Fonte: G1