Mesmo com liminar, paciente morre à espera de vaga em UTI

Mesmo com liminar, paciente morre à espera de vaga em UTI

Secretaria admite, em nota, que não cumpriu determinação judicial

Morreu, na manhã desta sexta-feira, um homem de 44 anos que precisava de internação em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), em Goiânia. Rubens de Araújo, 44 anos, sofria de cirrose hepática e havia conseguido na Justiça uma liminar intimando a Secretaria Municipal de Saúde a disponibilizar um leito para o paciente, em hospital público ou particular.

Ele estava há sete dias internado no Centro Integrado de Assistência Médica Sanitária (Ciams) do Setor Urias Magalhães. Em estado grave, respirava com ajuda de aparelhos e precisava ser transferido para uma UTI.

Sem conseguir a vaga, a família procurou a Justiça. A liminar foi entregue na última quarta-feira (30), no gabinete do secretário municipal de Saúde e foi recebida por um procurador, que assinou o documento. Mas, segundo a família, nada teria sido feito e Rubens continuou no Ciams, onde acabou morrendo.

Abatida, a irmã de Rubens, Berenice de Araújo, demonstra o sofrimento de uma luta em vão. "Os servidores do Ciams Urias Magalhães tentavam o tempo todo e nada, a resposta era só negativa", lamenta.

A família avisou que vai recorrer da decisão. "Dessa forma, eles estão desrespeitando a vida", diz o advogado da família, Renato Beltrão.

Em nota, o coordenador da Central de Regulação, Fernando Machado, representante da Secretaria Municipal de Saúde indicado para falar sobre o caso, disse que Rubens de Araújo recebeu toda assistência no Ciams. Mas não foi possível cumprir a liminar porque os hospitais de referência, que poderiam prestar o atendimento, não tinham vaga em UTI.

Fonte: G1