Mestrado oferecido pela Universidade Estadual do PI está entre os mais procurados

o mestrado é o segundo mais procurado no Exame Nacional de Acesso ao programa

CONFIRA A REPORTAGEM COMPLETA NA EDIÇÃO DESTA QUARTA-FEIRA (10) DO JORNAL MEIO NORTE

O Programa de Mestrado Profissional em Letras (PPROFLETRAS) oferecido pela Universidade Estadual do Piauí foi o segundo mais procurado no Exame Nacional de Acesso ao programa, ficando atrás apenas da Universidade de São Paulo – USP, Campus Butantã em São Paulo. A seleção teve 496 inscritos que disputaram 15 vagas e ocorreu no domingo(07) passado no Campus Torquato Neto, no Pirajá em Teresina.

A professora Dra. Nize Paraguassú Martins, coordenadora do programa na UESPI explica que a grande procura ocorreu por profissionais formados vindos de estados vizinho, como Maranhão e Ceará. "A demanda desses profissionais no Piauí é muito grande, como também nos estados vizinhos, por isso, a oportunidade de formação é muito procurada por eles. Ainda não fizemos o levantamento da onde essas pessoas vieram, mas a que tudo indica, inclusive por causa da seleção passada, são profissionais vindos do Maranhão que não possui um programa de mestrado em letras e de cidades vizinhas no Ceará, mesmo a Universidade Federal do Ceará (UFC) oferecer o PROFLETRAS, essas cidades próximas a Teresina preferem vir para cá", revela.

O PROFLETRAS tem por objetivo a capacitação de professores em língua portuguesa para exercício da docência no Ensino Fundamental, com o intuito de contribuir para a melhoria da qualidade do ensino no País. A coordenadora ressalta que a capacitação orienta os profissionais quanto aos métodos de ensino em leitura e escrita, diminuir a evasão escolar."Essa pós graduação é importante para a melhoria do ensino fundamental, através dela, os professores atualizam seus conhecimentos e são instruídos sobre novas técnicas de aprendizagem. Para isso, o curso possui uma área de concentração em Linguagens e Letramento, com duas linhas de pesquisa em Teorias da linguagem e ensino e Leitura e produção textual: diversidade social e práticas docentes", declara a professora.


Clique aqui e curta a página do meionorte.com no Facebook

Foto: Silmara Lopes/ASCOM-UESPI


Fonte: Rhauan Macedo