Metrô de Teresina recebe revisões e bairros devem receber novas estações

A CMTP já iniciou os estudos de ampliação para novos bairros, tendo a intenção de expandir para bairros da zona Sul, zona Norte e zona Leste

Com reformas e revisões já iniciadas, os serviços de metrô em Teresina devem ter melhorias significativas até o fim do mês de junho. O Governo do Estado, através da Companhia Metropolitana de Transporte Público (CMTP), está realizando melhorias nos trens e revisão na parte de portas, janelas, bancos e pisos.


Segundo o diretor técnico da CMTP, Antônio Sobral, essas melhorias já foram iniciadas em um trem. “Já começamos no trem unidade, que deve estar pronto até o fim do mês de abril.

E tão logo esse termine, será colocado na linha e faremos a mesma revisão nas demais máquinas para que até junho todos esses vagões em operação tenham condições mais adequadas e com melhor conforto para atender os passageiros”, explicou o diretor.

O serviço também se estende às estações com recuperação de equipamento e instalações, para que ainda no primeiro semestre os usuários tenham instalações mais confortáveis.

Antônio Sobral também explicou que eles firmaram uma parceria com a Transnordestina, em função do Programa de Aceleração do Crescimento Mobilidade Urbana (PAC), para que seja feita uma grande restauração na via permanente ainda no mês de abril.

“Neste caso, por dois meses nós colocaremos os trens para atuar nos horários de pico. Mais na frente divulgaremos os horários para a população. Vamos iniciar esse serviço significativo na via permanente”, contou o diretor.

A estimativa de investimento nessa linha chega a R$ 3 milhões para substituição de quase 9000 dormentes (peças colocadas transversalmente à via férrea e sobre as quais os trilhos são fixos) e troca de 9500 m³ de brita. O dinheiro também será aplicado na remoção de entulho, limpeza e revisão de drenagem da linha.

O diretor técnico também falou sobre a estação do bairro São João que, com linha restaurada e trens melhorados, será entregue em junho. “Esse mês estaremos fazendo viagens experimentais para avaliar e definir novos horários das estações e trens”, garantiu Sobral.

Além dos investimentos e melhorias que já estão em andamento, o Governo do Estado também firmou um convênio com o Ministério das Cidades. De acordo com o diretor Antônio Sobral, esse convênio importa recursos de R$ 454 milhões e está em fase de tramitação de documentos para homologação do Ministério.

“A expectativa é que essa licitação seja aberta ainda no primeiro semestre de 2015 e no segundo semestre as obras já serão iniciadas. Esse recurso contempla a modernização das linhas existentes, inclusive compra de novos trens e duplicação de linhas e ampliação para novos bairros”, declarou.

Outros bairros devem receber estações

A CMTP já iniciou os estudos de ampliação para novos bairros, tendo a intenção de expandir para bairros da zona Sul, zona Norte e zona Leste.

"Na zona Sul, estudamos dois traçados: ligando o leito da Avenida Miguel Rosa à estação Central da Frei Serafim e saindo no sentido da zona Sul passando no Cabral, Vermelha, Redenção, Morada Nova, Saci, Lourival Parente até o bairro Promorar ou prolongar a linha existente que hoje termina na Maranhão no sentido Sul, chegando ao bairro Redenção, saindo na mesma direção do Lourival Parente e bairro Promorar.

Na Zona Norte, a ideia é sair da Estação Matinha e pegar a Rui Barbosa e Centenário, chegando até o bairro Mocambinho, passando pela Universidade Estado do Piauí nesse trajeto.

Na zona Leste, vamos estudar a Avenida Nossa Senhora de Fátima ou a Ininga, chegando até a Universidade Federal do Piauí. São esses os traçados que estamos estudando", esclareceu Antônio Sobral.
Hoje o metrô atende 10.000 pessoas por dia a um custo único de R$ 0,80, sem previsão para aumento de tarifa.

Segundo Antônio Sobral, a maior parte dos usuários é da região Sudeste e 90% das pessoas daquela região têm renda menor que três salários mínimos. "O Governo não está apenas preocupado com o dinheiro para custeio e manutenção das linhas e trens, mas também com o nível salarial dos usuários", finalizou.

 

Fonte: Jornal Meio Norte