"Meu coração e minha alma já perdoaram o agressor", diz padre esfaqueado

Na manhã desta terça-feira (21), segundo a assessoria do hospital, o religioso passa bem e seu estado continua estável.

?Meu coração e minha alma já perdoaram o agressor?. Essas palavras foram ditas pelo monsenhor Jamil Nassif Adib, de 72 anos, esfaqueado no tórax por Luiz Fernando Gonçalves, de 24 anos, no último domingo (19), enquanto celebrava a missa das 19 horas na Catedral de Santo Antonio, em Piracicaba (164 km de São Paulo), onde é pároco.

A declaração do padre, que também é vigário-geral da Diocese da cidade, foi divulgada por meio de nota enviada pela Santa Casa de Piracicaba, onde ele passou por cirurgia - para a colocação de um dreno a fim de estancar a hemorragia no tórax - e se recupera dos ferimentos. Na manhã desta terça-feira (21), segundo a assessoria do hospital, o religioso passa bem e seu estado continua estável, porém sua recuperação deve se estender por pelo menos mais quatro dias.



Na manhã de segunda-feira (20), o monsenhor foi submetido a novos exames de raio-x para a avaliação da região atingida pela perfuração. Logo em seguida, foi transferido da emergência da Santa Casa para um quarto no Hospital Santa Isabel, instalado ao lado da instituição.

O autor do atentado está preso no Centro de Detenção Provisória de Piracicaba. Ele foi detido por guardas municipais instantes depois de esfaquear o monsenhor no lado esquerdo do tórax. Aos guardas, o rapaz disse que agiu "por ordem de Deus". Ele deve responder por tentativa de homicídio, segundo a Polícia Civil.

O bispo diocesano Dom Fernando Mason disse que o rapaz aparentava ter desequilíbrio psicológico. "O ato não se configura fanatismo religioso. Mostrou que o rapaz é claramente perturbado. Disse ter recebido ordens divinas, mas não acredito", afirmou.

Fonte: UOL