Ministério libera R$ 1,5 milhão para vacinação no PI

Ministério libera R$ 1,5 milhão para vacinação no PI

As campanhas devem atender as vacinações anuais de influenza sazonal, multivacinação e raiva animal

As campanhas devem atender as vacinações anuais de influenza sazonal, multivacinação (poliomielite e atualização de esquema vacinal em crianças menores de 5 anos de idade) e raiva animal

O Ministério da Saúde disponibilizou para o Piauí este ano a quantia total de R$ 1.486.500,71 para campanhas de vacinação no Estado. As campanhas devem atender as vacinações anuais de influenza sazonal, multivacinação (poliomielite e atualização de esquema vacinal em crianças menores de 5 anos de idade) e raiva animal.

Segundo o órgão, em 2012, o investimento no país será de R$ 81.034.880,82, 24% superior ao total de 2011, que foi de R$ 61.748.531,98. A informação consta no Diário Oficial da União.

O motivo para ampliação dos recursos está relacionada à campanha nacional de multivacinação para os menores de cinco anos de idade, que será realizada pela primeira vez, em agosto, com o propósito de iniciar, dar continuidade ou completar esquema de vacinas no calendário da criança.

Este ano, o Calendário Básico de Vacinação da Criança será ampliado com a introdução da vacina injetável contra pólio, feita com vírus inativado. A nova vacina será utilizada no calendário de rotina, em paralelo com a campanha nacional de imunização, esta realizada com as duas gotinhas da vacina oral. A injetável, no entanto, só será aplicada para as crianças que estão iniciando o calendário de vacinação.

Além disso, a vacina pentavalente, que reúne em uma só dose a proteção contra cinco doenças (difteria, tétano, coqueluche, Haemophilus influenza tipo B e hepatite B) será distribuída pela primeira vez.

Atualmente, a imunização para estas doenças é oferecida em duas vacinas separadas. Na fase infantil, quando há um maior acompanhamento, até mesmo pelo número de vacinas que precisam ser tomadas (26 doses de 0 a 10 anos), a frequência aos postos de saúde são bem maiores.

No entanto, é entre os 15 meses e 4 anos, quando há um intervalo maior de vacinação, que se nota o esquecimento de muitos pais, e muitas crianças acabam passando mais que o tempo necessário sem serem imunizadas.

Situações como essas forçam o investimento maior do poder público e foi o que motivou a realização de um Monitoramento Rápido de Coberturas vacinais (MRC).

O acompanhamento acontecerá no próprio domicílio e terá como objetivo averiguar a situação vacinal das crianças (menores de cinco anos de idade) com a verificação do cartão de vacina.

Jordânia Santos é mãe de duas crianças e sempre se precaveu com relação à vacinação de seus filhos. Além das campanhas, ela garante ter em mãos o cartão de vacina mantendo sempre atualizado. ?Meus filhos nunca tiveram nenhuma doença.

E isso se deve a essa prevenção. Minha vizinha trabalha no posto de saúde e ela sempre me diz quando tem vacinas para tomar. Afinal é um cuidado a mais com nossos filhos e saúde vem sempre em primeiro lugar?, afirma Jordânia.

Fonte: Virgínia Santos