Mentiras e verdades sobre sabonete íntimo

Ele equivale a um sabonete neutro, mas é mais eficiente contra alergias

21/08/2009 - 14:26

Eles invadiram as prateleiras das farmácias e supermercados e conquistaram as mulheres. Agora, os sabonetes íntimos já são parte da higiene diária feminina. Mas, apesar de fazer muitas adeptas, as dúvidas que rondam o produto não são poucas: ele pode ser usado na menstruação? O que ele tem de especial em relação às outras fórmulas? Qual a frequência ideal de uso?

Para responder essas e outras questões, o MinhaVida conversou com o ginecologista e obstetra Edílson Ogeda, do Hospital Samaritano de São Paulo. Confira aqui:

1. Ele protege mais que o sabonete comum

Verdade.De acordo com o ginecologista, o sabonete íntimo possui uma composição neutra, sendo assim traz mais proteção porque não agride a mucosa genital e, portanto, não interfere no ambiente natural da região da vagina.

2. O sabonete íntimo elimina odores desagradáveis

Mentira. O cheiro forte na região genital está relacionado a problemas genitais, como o corrimento, por isso o produto não tem o poder de eliminá-lo. Ele não trata a causa do problema. "O produto vai disfarçar o odor apenas por alguns minutos. Porém, a não solução desse quadro serve como alerta de que existe uma alteração que deve ser investigada e tratada", diz.

3. O produto altera o pH da vagina.

Mentira. "Os sabonetes íntimos, que são recomendados pelos ginecologistas, devem possuir pH neutro, por isso não desequilibram o pH da vagina, evitando problemas como corrimentos e coceiras" , explica o especialista.

4. Eles oferecem menos risco de alergia

Verdade. Como a composição do produto é específica para a área genital, ele oferece menos riscos de alergias. "Todos os componentes presentes na formulação são mais leves e evitam irritações", explica o ginecologista.

5. O uso do produto evita a proliferação de fungos e bactérias

Verdade. Os sabonetes íntimos não prejudicam os lactobacilos responsáveis por proteger a região vaginal. "Essas bactérias, conhecidas como lactobacilos de Dorderlein, evitam a proliferação dos germes causadores de infecções vaginais. Já os sabonetes comuns, principalmente os que não são neutros, podem eliminar os lactobacilos e deixam a saúde íntima mais exposta", diz Edílson Ogeda.

6. O sabonete íntimo não pode ser usado durante a menstruação

Mentira. De acordo com o ginecologista, não existe nenhuma contra-indicação. O produto não oferece nenhum risco quando usado durante o período, porque vai sempre acompanhar o pH apresentado pela vagina.

7. O produto não deve ser utilizado todos os dias

Mentira. O uso diário do sabonete não prejudica a flora vaginal. Durante o banho, lavamos todas as partes do corpo, então, usar um sabonete neutro, que não agrida a mucosa vulvo-vaginal, é muito mais indicado do que adotar um sabonete convencional.

8. O sabonete íntimo é igual ao sabonete neutro.

Verdade. Na prática, não existe nenhuma alteração considerável na fórmula dos dois produtos, portanto, eles se equivalem. "Mas como os agentes (até mesmo o perfume) dos sabonetes íntimos são totalmente pensados para essa região, o risco de reação alérgica é mais baixo", diz.

9. Na falta de sabonete íntimo podemos usar o antibactericida

Mentira. De acordo com o ginecologista, os sabonetes antibactericidas são vetados para a região vaginal. "Eles são sabonetes capazes de combater as bactérias de superfície (pele e mucosa) e não devem ser usados na região genital, pois podem destruir os lactobacilos de proteção e aumentar (e muito) o risco de infecções e irritações na vagina", alerta.

10.O uso prolongado pode causar corrimento.

Mentira. De acordo com o especialista, não existe nenhuma relação entre corrimento genital e o uso de sabonetes íntimos. "O corrimento é causado por bactérias e fungos. E o produto não tem nenhuma ligação com a proliferação desses micro-organismos", afirma.

FONTE: minhavida
TÓPICOS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

ver mais+

DEIXE SEU COMENTÁRIO

voltar para o topo