Cantora posa de biquíni e diz: 'namoraria Roberto Carlos, sim'

Durante uma coletiva de imprensa, perguntaram a Roberto se ele namoraria Paula. “Quem não namoraria?”

26/01/2011 - 08:27
Paula Fernandes.
Paula Fernandes.
Foto: Quem

A cantora Paula Fernades brilhou no especial de natal do Rei, reforçando rumores de que teria um romance com ele, fato que ela nega. Admite, porém, que não haveria impedimento algum em namorar um homem mais velho.

“Ela tem um estilo inconfundível. E, além de tudo, é linda”. Foi assim que Roberto Carlos, de 69 anos, chamou Paula Fernandes para dividir o palco com ele no seu show de Natal, na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, em dezembro do ano passado. E se, antes de o espetáculo acontecer, já se especulava sobre um romance entre os dois, depois de o especial ir ao ar, muita gente deu como certa a possibilidade.

Durante uma coletiva de imprensa, perguntaram a Roberto se ele namoraria Paula. “Quem não namoraria?”, foi a resposta. Em Búzios, a pergunta foi feita a Paula, que tem 26 anos. Ela negou qualquer envolvimento com o Rei, mas não descartou a ideia de, quem sabe, ser a nova musa inspiradora dele. “Não há nada entre nós, mas eu namoraria o Rei, sim. Não tenho o menor problema com homens mais velhos”, disse Paula.

Ela preferiu comentar o encontro com ele, no palco, do ponto de vista profissional e sob a ótica de fã: “Roberto Carlos está no ar que a gente respira. Cantar com ele foi um divisor de águas. Que artista não gostaria de estar no meu lugar? Eu era uma fã conhecendo seu ídolo e passei a admirá-lo e respeitá-lo ainda mais, pois percebi que ele é uma pessoa extremamente sensível. Não é uma montagem: ele é o que é”.

Sobre a declaração de Roberto Carlos de que namoraria com ela, a cantora foi discreta. Considera-se honrada pelo elogio, mas, com cautela, disse que gostaria de conhecer seu ídolo melhor. “Ele é um doce, um dos maiores exemplos de superação que conheci. Estou numa correria muito grande por causa do trabalho, mas quero ligar para ele com calma e agradecer sua generosidade. Nem tive a chance de falar com ele sobre esses comentários.”

AMOR E CORAGEM

O especial de Roberto fez com que o rosto de Paula se tornasse definitivamente conhecido. Os que não prestavam atenção à carreira da cantora antes do evento, no entanto, com certeza já haviam ouvido sua voz nas trilhas de novelas de que participou. Ela teve gravações incluídas em “América” (2005), “Paraíso” (2009), “Escrito nas Estrelas” (2010), “Páginas da Vida” (2010) e, atualmente, pode ser ouvida em “Araguaia”, interpretando “Tocando em Frente”, em dueto com Leonardo. “As pessoas conhecem a minha voz, mas ainda estão descobrindo meu rosto.”

Mineira de Sete Lagoas e cantora desde os 9 anos, Paula pensou em desistir dos palcos, tamanhos foram os desafios que enfrentou. Aos 10, gravou seu primeiro disco, lançado em vinil. Aos 12, mudou-se com a mãe, o pai e um irmão mais novo para São Paulo, em busca de oportunidades. “Minha família acreditou no meu sonho, mas, depois de alguns anos de portas fechadas, voltamos a Belo Horizonte sem dinheiro para nada. Gastamos tudo o que tínhamos. Cada um de nós teve de morar na casa de um parente.”

Aos 18 anos, Paula chegou a ingressar no curso de geografia, imaginando uma carreira mais estável. Mas, para pagar os estudos, foi cantar no circuito mineiro de bares. Não viu outra saída: “Queria mesmo viver de música”.

Ela faz um balanço positivo de todos os seus momentos, mesmo os mais complicados, e lembra com carinho da infância humilde. “Sei que queimei etapas de infância e da adolescência por causa do trabalho, mas tudo valeu a pena. Hoje, tenho tranquilidade financeira, tenho minha casa, o carro que gosto, se quiser viajar, posso. Nunca passei fome, mas vivi muitas dificuldades. Nem um cachorro, que era o meu sonho, eu podia ter. Mesmo assim, acho que tive a melhor infância que uma criança pode ter, totalmente rural”.

E é para o interior que ela gosta de ir quando tem seus dias de folga. “Gosto de andar descalça, correr na terra, usar camiseta e coque no cabelo. Tenho orgulho de ser pé vermelho, de conhecer bem o sertão.”

Mesmo mantendo seu lado moleca, ela afirma que amadureceu muito depressa, por causa do trabalho. O que deixou um lado carente: “Troquei as bonecas pelo violão, e só tive o primeiro namorado aos 19. Eu era tão verdinha quanto uma menina de 13. Tive dois namorados até hoje e tive a sorte de eles terem sido sensíveis, valorizado a minha pureza. Sou forte, decidida, mas preciso de um parceiro, quero um colinho…”

Paula é da filosofia de que tudo tem seu momento para acontecer. Por isso, diz que espera um amor com tranquilidade: “Os encontros devem acontecer pela pureza. O trabalho e o sucesso não compensam a falta de um amor. Quero um grande amor, sim. Sou muito apaixonada”.

FONTE: Quem

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

ver mais+

DEIXE SEU COMENTÁRIO

voltar para o topo