Moradores agridem e amarram suspeito de roubar carro; foto

O ladrão agredido, entretanto, deve relatar o caso a polícia após a indentificação do agressor para que o processo seja aberto.


Um homem de 25 anos foi rendido e preso por moradores no bairro Jardim Santa Rosália quando tentava roubar um carro em Sorocaba (SP). O suspeito foi dominado e agredido pelas pessoas, que o amarraram até a chegada da polícia. O crime aconteceu no dia 21 de março, na rua Olavo Bilac.

Segundo informações do boletim de ocorrência, um vendedor de carros de 35 anos estava manobrando o veículo quando foi abordado pelo criminoso, que afirmou estar armado e exigiu a entrega da aliança. O ladrão ordenou ainda que a vítima passasse para o banco do passageiro para poder roubar o veículo.

O patrão da vítima percebeu a ação do criminoso e começou a gritar, chamando atenção de moradores que passavam pelo local. Em depoimento a polícia, uma testemunha contou que eles correram atrás do suspeito até ele ser alcançado na rua Aparecida. A testemunha afirmou aos investigadores que o criminoso ficou fazendo ameaças e se batendo no chão, o que dificultou a prisão.

O homem foi amarrado com uma corda e acabou ficando apenas de cueca na calçada. O grupo fugiu quando a viatura da Polícia Militar chegou e no local ficaram apenas as vítimas e a testemunha. O ladrão afirmou que tinha usado LSD e sido agredido. Reclamou ainda de dores e difuculdades para respirar.

De acordo com o boletim de ocorrência, nenhuma arma foi encontrada com o suspeito. O anel roubado também não foi localizado. Já o carro foi entregue para a vítima. Após o registro da ocorrência de flagrante por roubo no Plantão Norte, ele recebeu atendimento na Unidade Pré-Hospitalar (UPH) da Zona Norte e passou por exames no Instituto Médico Legal (IML).

O laudo apontando as possíveis agressões deve ficar pronto em uma semana. O criminoso foi encaminhado para a Cadeia Pública de São Roque (SP) e transferido para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Aparecidinha, em Sorocaba (SP). Segundo a polícia, ele não tinha antecedentes criminais.

Não reagir

O delegado titular da 1º Distrito Policial (DP), Silvio Miguel Marques Vincentim, destaca que a orientação da polícia é não reagir em casos de roubos.

"Geralmente os criminosos agem em dupla nestes casos. Ele poderia realmente estar armado, como fez menção durante a abordagem, ou ter um comparsa usando uma arma. Apesar de a lei garantir que qualquer pessoa possa realizar uma prisão, é um risco que as pessoas correm ao reagir em assaltos", afirma.

Ele destaca, entretanto, que o fato de o ladrão estar sob efeito de drogas pode ter facilitado a prisão por parte dos populares. Vincentim diz ainda que, se for identificado um excesso, os moradores também poderão responder por agressão. "É normal que haja hematomas durante a prisão, mas se após ser rendido, alguém agredir o criminoso, esta pessoa também pode responder na Justiça", acrescenta.

O ladrão agredido, entretanto, deve relatar o caso a polícia após a indentificação do agressor para que o processo seja aberto.

Fonte: G1