Moradores de região alagada fazem vigílias para evitar saques no RS

Bairro na Zona Norte da capital ficou alagado após rompimento de dique. Com a saída de moradores para abrigos, casas acabaram saqueadas.

Moradores do bairro na Zona Norte de Porto Alegre que ficou alagado após o rompimento de um dique de contenção que represa as águas do Rio Gravataí se revezaram durante a madrugada de domingo (1) para fazer vigília e evitar que mais casas fossem saqueadas. Pelas redes sociais, o prefeito José Fortunati disse que algumas residências do Bairro Sarandi foram roubadas quando os moradores deixaram as moradias por causa da enchente. Depois dos saques, a Brigada Militar aumentou o efetivo na região.

A Defesa Civil espera que a situação se normalize até a segunda-feira (2). De acordo com o coordenador adjunto da Defesa Civil da capital, Hélio Oliveira, o órgão permanece monitorando o local. Nesta manhã, cerca de 170 pessoas permanecem nos abrigo oferecido pela prefeitura, na Escola Liberato Salzano Vieira da Cunha.

"Fechamos a noite com mais de 300 abrigados. Aos poucos as pessoas estão voltando para suas casas. O alagamento está baixando bastante. A CEEE está trabalhando para recuperar a energia elétrica da região o mais rápido possível. A chuva na manhã de domingo vai atrapalhar na limpeza, mas não nos preocupa na questão de novos alagamentos", disse ao G1 o coordenador adjunto da Defesa Civil da capital, Hélio Oliveira.


Moradores de região alagada fazem vigília para evitar saques no RS

A água que atingiu a Zona Norte da capital na madrugada de sábado (31) já havia prejudicado no início da semana moradores de Alvorada, Cachoeirinha e Gravataí. Equipes da prefeitura trabalharam doze horas para conter o alagamento. Pedras e areia foram usadas para fechar o dique. Homens da Defesa Civil e bombeiros usaram botes para chegar aos locais mais alagados. Jipeiros também ofereceram ajuda.

Ônibus removeram as famílias desabrigadas para a Escola Liberato Salzano Vieira da Cunha e também para a quadra da escola de samba Império da Zona Norte. A Secretaria Municipal de Educação destacou profissionais para cuidar das crianças nos abrigos.

O alagamento na Zona Norte de Porto Alegre é a maior tragédia dos últimos anos na capital, segundo Ernesto Teixeira, secretário do Gabinete de Defesa Civil da capital. "O que causou isso ainda não se sabe. Pode ter sido acidental ou provocado por ação humana. Não tem como precisar. Mas isso inundou todo o Bairro Sarandi. É a maior tragédia dos últimos anos na capital", disse à Rádio Gaúcha o secretário da Defesa Civil.

As doações estão sendo recebidas na Escola Municipal Liberato Vieira da Cunha e nos postos do Mercado Público e da Fasc, na Avenida Ipiranga, 310. Voluntários da área da saúde podem se apresentar na Escola Municipal Liberato Vieira da Cunha, na Rua Xavier de Carvalho, nº 274, Bairro Sarandi.

Fonte: G1