Moradores do Sigefredo Pacheco reclamam de mato e de falta de ônibus

O presidente do Conselho Comunitário dos conjuntos Sigefredo Pacheco I e II, Manoel Neto, afirma que o bairro sofre com a falta de mais regularidade n

O presidente do Conselho Comunitário dos conjuntos Sigefredo Pacheco I e II, Manoel Neto, afirma que o bairro sofre com a falta de mais regularidade nos serviços de capina, fazendo com que o mato acabe tomando vários pontos do local. Segundo ele, um serviço de limpeza foi iniciado ainda ontem por equipes da SDU Leste, mas que a última visita dos garis ao local se deu ainda no ano passado.

"Vimos a situação se complicar e nos dirigimos até a SDU Sul para cobrar providências. Fomos prontamente atendidos pelo superintendente Ronney Lustosa, mas precisamos que esse serviço seja feito mais vezes", disse Manoel Neto. A SDU Leste, no entanto, contesta a informação sobre a situação denunciada e, através de sua assessoria, informa que enviou equipes ainda na semana passada para o local.

Outro ponto de reclamação diz respeito às linhas de ônibus. Hoje, de acordo com o líder comunitário, há apenas duas linhas passando pelos conjuntos habitacionais, com quatro carros cada - o que faz com que os moradores esperem até duas horas para pegar um coletivo.

"Precisamos de mais ônibus. Além disso, os poucos que temos vivem quebrando. Em alguns casos, os motoristas ainda precisam fazer o percurso completo da linha em 120 minutos, tempo determinado pelas empresas, e que é insuficiente para cumprir todo o trajeto de ida e volta", complementou Neto.

cadê as traves?

Os problemas não param por aí. Manoel Neto e o presidente da liga esportiva da região, Roberto Marques, denunciam que as traves do campo de futebol do conjunto habitacional, cedidas pela Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (Semel), desapareceram.

"A Semel entregou as traves a um responsável por colocá-las, e até agora não sabemos o paradeiro das mesmas", disse Manoel Neto.

Fonte: Dowglas Lima