Moradores reclamam de abandono da praça Da Costa e Silva, em Teresina

Moradores reclamam de abandono da praça Da Costa e Silva, em Teresina

Além da sujeira que toma conta da praça, a população reclama da falta de segurança que domina o local.

Os moradores que vivem ao redor da Praça Da Costa e Silva, Centro Sul de Teresina, há anos convivem com o descaso do local, principalmente por conta da pouca iluminação que propicia assaltos e o consumo de drogas.

A insegurança da população é tanta que os pedestres que passam pela praça para ir ao trabalho e para ir à escola pela manhã evitam fazer o mesmo caminho durante a noite. O ambulante André Luiz Evangelista relata que a rua de acesso ao local fica deserta assim que o sol se põe, por conta da baixa iluminação.

"Eu nem passo por aqui à noite, procuro locais mais claros para voltar para casa. Eu já vi pessoas sendo assaltadas aqui, como eu presto muita atenção, nunca aconteceu comigo. Inclusive, já vi pessoas usando drogas dentro da praça, acho que a prefeitura deveria fazer alguma coisa", declara.

Morando há anos em frente à praça, o aposentado João Dias já teve que se defender de assaltantes, hoje ele senta na porta de casa com uma barra de ferro na mão. "É lamentável termos que viver com tanta insegurança.

Tem um colégio aqui perto que no final da tarde um grupo de mais de 15 meninas volta para a parada de ônibus com medo de serem abordadas por assaltantes. Até semana passada estava tudo escuro, eu tive que ligar para a prefeitura e eles vieram dar um jeito, mas só durou três dias", declara.

O aposentado também reclama da má conservação da praça, pois há muito lixo e os espelhos d'agua estão com pneus e água parada, sendo foco de mosquito para da dengue.

"Em três anos seguidos que eu tenho dengue, esse ano tive novamente, tudo por conta da água parada nas fontes, inclusive tem um cano quebrado que derrama água dentro dela. Alguém precisa tomar uma providência, não aguentamos mais", afirma João Dias.

A Secretaria de Desenvolvimento Urbano informou que realiza a troca periódica das lâmpadas queimadas em toda a cidade, mas não possui controle da quebra da iluminação por vândalos e mandou uma equipe verificar o que acontece no local no mesmo dia.

A Superintendência de Desenvolvimento Urbano, que cuida da manutenção da praça, declarou que irá vistoriar a área e, se constatado as más condições, até segunda-feira uma equipe deverá limpar o local.Os moradores que vivem ao redor da Praça Da Costa e Silva, Centro Sul de Teresina, há anos convivem com o descaso do local, principalmente por conta da pouca iluminação que propicia assaltos e o consumo de drogas.

A insegurança da população é tanta que os pedestres que passam pela praça para ir ao trabalho e para ir à escola pela manhã evitam fazer o mesmo caminho durante a noite. O ambulante André Luiz Evangelista relata que a rua de acesso ao local fica deserta assim que o sol se põe, por conta da baixa iluminação.

"Eu nem passo por aqui à noite, procuro locais mais claros para voltar para casa. Eu já vi pessoas sendo assaltadas aqui, como eu presto muita atenção, nunca aconteceu comigo. Inclusive, já vi pessoas usando drogas dentro da praça, acho que a prefeitura deveria fazer alguma coisa", declara.

Morando há anos em frente à praça, o aposentado João Dias já teve que se defender de assaltantes, hoje ele senta na porta de casa com uma barra de ferro na mão. "É lamentável termos que viver com tanta insegurança.

Tem um colégio aqui perto que no final da tarde um grupo de mais de 15 meninas volta para a parada de ônibus com medo de serem abordadas por assaltantes. Até semana passada estava tudo escuro, eu tive que ligar para a prefeitura e eles vieram dar um jeito, mas só durou três dias", declara.

O aposentado também reclama da má conservação da praça, pois há muito lixo e os espelhos d'agua estão com pneus e água parada, sendo foco de mosquito para da dengue.

"Em três anos seguidos que eu tenho dengue, esse ano tive novamente, tudo por conta da água parada nas fontes, inclusive tem um cano quebrado que derrama água dentro dela. Alguém precisa tomar uma providência, não aguentamos mais", afirma João Dias.

A Secretaria de Desenvolvimento Urbano informou que realiza a troca periódica das lâmpadas queimadas em toda a cidade, mas não possui controle da quebra da iluminação por vândalos e mandou uma equipe verificar o que acontece no local no mesmo dia.

A Superintendência de Desenvolvimento Urbano, que cuida da manutenção da praça, declarou que irá vistoriar a área e, se constatado as más condições, até segunda-feira uma equipe deverá limpar o local.

Clique aqui para curtir o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: Rhauan Macedo