Moradores reclamam de falta de água em conjunto de THE

Os moradores que não possuem caixa d’água, ou que não conseguem armazenar grande volume de líquido em suas cisternas

Problemas da ausência de água permanecem no Residencial Nicanor Barreto, localizado na zona Leste de Teresina.

Após matéria publicada no Jornal Meio Norte, os moradores do local informaram que a Agespisa tomou providências para minimizar o problema, e a água retornou às residências pelo menos durante a madrugada. Agora a população se queixa que a água não vem mais em nenhum horário há cerca de sete dias.

Os moradores que não possuem caixa d?água, ou que não conseguem armazenar grande volume de líquido em suas cisternas e recipientes, ficam sem água nenhuma e na dependência de buscá-la em outros locais ou de até mesmo ter que pagar pela água que bebem, além do talão da Agespisa que vem mensalmente cobrando um valor que não foi consumido. O policial Elson Silva da Costa relata que a última vez que teve água nas torneiras de sua casa foi na última sexta-feira, 13. Ele conta que está pagando R$ 15 por dois tambores de água para não ficar à mercê deste descaso com o abastecimento.

Elson informa que em sua casa não chega água em nenhum momento. Alguns moradores, contudo, informam que na madrugada chega água e eles conseguem abastecer seus reservatórios para que durem o dia todo.

É o caso de Célia Negreiros, que reflete a condição das pessoas que não tem como estocar água. ?Quem não tem reservatório não tem água pra nada. Aqui todo tempo é assim?, relata.

Já para dona de casa Socorro Messias, conseguir água é um pouco difícil. Ela, que já possui uma idade avançada, nem sempre consegue guardar água em baldes. Socorro calcula que há mais de cinco dias não vem uma gota de água nas torneiras. Ela explica que frequentemente tem que ir até a residência do filho.

?Vou lá pra casa do meu filho na Kennedy. Lavo roupa, tomo banho. Tudo é lá, porque não dá pra fazer nada aqui?, declara.

No local existem algumas obras, que estão prejudicadas com a falta de água. Os pedreiros reclamam que além deles terem que se desgastar mais buscando água em outras regiões, quando a água do reservatório acaba, muitas vezes é preciso parar a obra até o dia seguinte, pois a maioria dos serviços necessitam de misturas com água.

De acordo com informações da Agespisa, o problema na área já havia sido sanado. No entanto, com as novas denúncias, o órgão informa que vai enviar novamente uma equipe para verificar e solucionar o problema.

Fonte: Pollyana Carvalho