Mortes por dengue no Brasil dobram em 2010

Doença fez 592 vítimas neste ano, superando o recorde anterior, em 2008

O número de mortes por dengue no Brasil praticamente dobrou no Brasil entre 2009 e 2010, de acordo com dados do Ministério da Saúde divulgados nesta quinta-feira (11). Até 16 de outubro, 592 pessoas morreram no país por causa da doença, contra 298 em todo o ano passado. Em setembro, o R7 já havia adiantado que o número de mortes causadas pela dengue é recorde neste ano, superando a pior marca anterior, em 2008, quando a doença fez 478 vítimas.

Neste ano, foram notificados 936.260 casos de dengue clássica no país. Destes, 14.342 foram classificados como graves.

Há uma série de razões que justificam o aumento das mortes nos últimos anos. A principal delas ? e mais repetida pelos especialistas ? é o fato de o país estar vivendo, desde o final dos anos 90, surtos repetidos da dengue, que são causados pelos três tipos do vírus que circulam no Brasil. Isso aumenta as chances de uma pessoa se infectar novamente e, consequentemente, de desenvolver as formas graves da doença.

Além, disso, de acordo com o ministério, ?a manutenção de condições precárias de saneamento básico e a irregularidade da coleta de lixo em muitos municípios brasileiros impedem a redução dos índices de infestação pelo mosquito Aedes aegypti?, que transmite a doença.

? A falta de abastecimento de água obriga as pessoas a armazenarem em caixas d?água, tonéis, latões sem a devida proteção. O lixo acumulado também abastece o ambiente, de forma permanente, com vários criadouros ideais para a fêmea do mosquito colocar seus ovos.

De acordo com a pasta, 15 cidades enfrentam risco de surto da doença: Afogados da Ingazeira (PE), Ceará-Mirim (RN), Bezerros (PE), São Miguel (RN), Serra Talhada (PE), Rio Branco (AC), Ilhéus (BA), Floresta (PE), Simões Filho (BA), Mossoró (RN), Porto Velho (RO), Caicó (RN), Camaragibe (PE), Caetanópolis (MG) e Epitaciolândia (AC).

Além disso, 123 municípios estão em situação de alerta. Dentre essas cidades, 11 são capitais: Salvador (BA), Palmas (TO), Rio de Janeiro (RJ), Maceió (AL), Recife (PE), Goiânia (GO), Aracaju (SE), Manaus (AM), Boa Vista (RR), Fortaleza (CE) e Vitória (ES).

Segundo a pasta, essas cidades merecem atenção, pois qualquer descontinuidade nas ações de controle altera o quadro para situação de risco.

Diante desse cenário, o governo modificou alguns pontos da campanha nacional de combate à dengue, dando destaque para a participação da população e de governos no controle do Aedes aegypti.

Segundo o ministro José Gomes Temporão, a campanha para este verão vai aumentar o tom de alerta, com testemunho de pessoas que tiveram dengue e citações às mortes em decorrência da doença.

- Embora o grau de conhecimento das pessoas sobre a doença e a prevenção seja alto, em torno de 96%, o brasileiro sabe que tem papel fundamental na eliminação dos focos do mosquito, o que ainda é um desafio no Brasil.

Fonte: R7, www.r7.com