Motociclista é detida após arrastar filhote de cadela na rua no PA

O caso de maus tratos foi registrado Seccional Urbana de São Brás

Uma mulher foi detida nesta segunda-feira após ser flagrada arrastando uma cadela filhote pelo asfalto de uma rua, no bairro do Tapanã, em Belém, no Pará. O caso aconteceu neste domingo. Por meio de uma rede social, uma testemunha divulgou um vídeo que mostra os maus tratos. A sequência causou revolta em internautas.

Na gravação, a mulher, que está em uma motocicleta elétrica, puxa o animal por uma coleira. O bicho, no entanto, não consegue acompanhar o ritmo do veículo e acaba caindo, sendo arrastado pelo asfalto por vários metros. De um carro, os ocupantes pedem que a mulher pare, mas ela ignora os apelos.

Segundo a estudante Millena Isis, de 20 anos, que estava no carro e ajudou a fazer o vídeo, a cadela ficou ferida.

— Eu e um amigo estávamos de passagem pelo lugar, voltando de uma feira, quando a vimos arrastando a cachorrinha. A filho cansou, então, foi arrastada. A gente gritou muito para ela (a suposta dona do animal) parar a moto. Só depois que outro motociclista emparelhou com ela e a obrigou, ela parou. A cadela ficou sangrando, com as patas ferida — contou a estudante, que pretende procurar as autoridades para denunciar o caso. — Eu já fiz contato com uma ONG e vou tentar ir à polícia ainda hoje.

De acordo com Millena, depois de parar a motocicleta e ser cercada por testemunhas, a mulher pegou a cadela e a levou embora.

Na rede social, as imagens já foram assistidas mais de 27 mil vezes e tiveram mais de mil compartilhamentos. Internautas se mostraram revoltados com a sequência e criticaram a mulher que seria a dona do animal. "Isso não é um ser humano, é um monstro!", disse um deles. "Meu Deus! Que cena horrível", acrescentou outro.

O caso de maus tratos foi registrado Seccional Urbana de São Brás, em Belém. A mulher acabou localizada por agentes da Delegacia de Meio Ambiente (Dema). Ela foi detida na manhã desta segunda-feira.

Image title

Image title

Fonte: Com informações do Jornal Extra