Motorista que deu R$ 100 a bandidos teve queimaduras de 1º e 2º graus

Motorista que deu R$ 100 a bandidos teve queimaduras de 1º e 2º graus

O carro da vítima, um Mitsubishi Pajero, também foi encontrado queimado e abandonado

O motorista que alegou ter sido incendiado por criminosos porque só tinha R$ 100 para dar a eles, teve queimaduras de primeiro e segundo graus pelo corpo, de acordo com o boletim médico do hospital onde ele está internado em São Paulo.

Segundo informou neste domingo (9) a assessoria de imprensa do Hospital São Luiz, no Morumbi, Zona Sul, o analista Marcelo Gonçalves da Silva encontra-se ?clinicamente estável, na UTI, sem previsão de alta?. Os ferimentos foram no rosto, pescoço e braços. Não foram divulgadas informações sobre as gravidades dos machucados.

O carro da vítima, um Mitsubishi Pajero, também foi encontrado queimado e abandonado. A Polícia Civil investiga o caso e procura os assaltantes, que teriam fugido para uma favela.

O analista contou à polícia que foi atacado por dois assaltantes entre a noite de sexta-feira (7) e a madrugada de sábado (8). Segundo o boletim de ocorrência registrado no 89º Distrito Policial, no Portal do Morumbi, a dupla achou pouco o dinheiro que Marcelo tinha, se irritaram com ele e, por esse motivo, decidiram queimá-lo juntamente com seu automóvel.

De acordo com os policiais, o analista foi abordado por volta das 21h30 de sexta, quando desceu de seu carro para sacar dinheiro numa agência bancária na Avenida Luiz Carlos Berrini. Os bandidos mandaram a vítima voltar para o veículo e um deles assumiu a direção. O outro sentou no banco de trás com o analista. Não há informações se os agressores estavam armados.

Como os criminosos queriam mais dinheiro da vítima, começaram a se irritar e passaram a jogar um líquido inflamável no analista. Depois ficaram com um isqueiro ameaçando atear fogo no analista, até que o incendiaram.

Em pânico, e com o corpo em chamas, o analista falou que abriu a porta e se atirou do carro perto do acesso à ponte do Morumbi. Um taxista que passava pelo local socorreu a vítima e a levou até o hospital.

O automóvel da vítima foi encontrado queimado e abandonado numa rua do Morumbi, perto da comunidade do Real Parque. O caso foi registrado como roubo, incêndio e extorsão.

Em menos de dois meses, este é o segundo caso de vítima de assalto incendiada por criminosos na Grande São Paulo.

Em abril, uma dentista morreu queimada depois que assaltantes invadiram o consultório dela em São Bernardo do Campo, no ABC. Eles atearam fogo na dentista porque a vítima tinha pouco dinheiro na conta.

Fonte: G1