Trânsito: Motos já são maioria nas ruas de Timon; veja números

Em dois anos, as motos chegaram a superar a quantidade total de veículos de 2010.

Hoje em dia, conseguir um veículo está bastante fácil. Além do Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) reduzidos, muitas outras facilidades são postas aos clientes que pretendem conquistar o sonho do carro próprio. Mas com o trânsito cada vez mais caótico, as motos acabam se tornando uma alternativa viável de locomoção.

O resultado disso é a grande quantidade desses veículos circulando por Timon. Em dois anos, as motos chegaram a superar a quantidade total de veículos de 2010.

Segundo dados do Departamento Nacional de Trânsito, a frota total de Timon em 2010 era de 18.682, sendo 4.402 apenas automóveis. As motocicletas e motonetas, por sua vez, totalizaram naquele ano o número de 12.256 veículos, número quase três vezes maior que o de carros e representando 65% da frota total de veículos que circula na cidade.

Enquanto as motonetas eram apenas 1.236, as motos são a maioria, com 11.020 veículos, segundo o Denatran.

Em 2012, a frota em Timon passou para 28.467, sendo os veículos de duas rodas responsáveis por 69% do total.

Enquanto os automóveis tiveram um acréscimo apenas de 1.484 veículos em dois anos, as motos cresceram em disparada: passaram de 12 mil para 19.662. Em 2012, somente a quantidade de motos superou a quantidade total de veículos que existia em Timon em 2010.

Os dados do Denatran são referentes aos meses de junho de 2010 e 2012, já que consta neste mês o último levantamento referente ao último ano.

De acordo com o superintendente do Departamento Municipal de Trânsito (DMTrans), Robert Gualter, essa é uma realidade que traz uma série de consequências, entre elas a dificuldade de controle e a crescente irregularidade de veículos e condutores.

?Houve esse aumento em função do valor do veículo e isso traz vários pontos negativos. Com a quantidade de veículos jogados nas ruas, a fiscalização tem que aumentar, pois como ficou fácil adquirir, muitos aprendem a andar de moto, mas não se habilitam para isso?, explica.

Fonte: Virgínia Santos