Mototaxistas pedem criação de motocímetro em Teresina

Conhecido como motocímetro, o dispositivo servirá para fornecer corridas mais justas baseado em preço de tabela

Na tentativa de equilibrar o valor da corrida e oferecer um preço mais justo para a população, o Sindicato dos Mototaxistas pretende implantar um taxímetro em cada motocicleta.

Conhecido como motocímetro, o dispositivo servirá para fornecer corridas mais justas baseado em preço de tabela. A decisão é vista com bons olhos pela classe e também pela comunidade.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Mototaxistas, José Carlos, hoje há uma divergência no valor das corridas. Como a STRANS não dispõe de uma tabela de preços, cabe ao mototaxista estipular o valor da corrida.

Com a medida, a expectativa é que o serviço fique mais barato para o consumidor final. "Esta é uma decisão prevista pela lei, mas que ainda não foi implantada no estado. Estamos nos adiantando ao STRANS e buscando a implantação da medida desde já. Os dois lados só têm a ganhar com isso", explica o presidente.

Segundo o mototáxi Antônio Guedes da Silva, a classe não é vista com bons olhos pela população. "As pessoas pensam que somos desonestos e que cobramos caro pela corrida. É verdade que muitos superfaturam o serviço, mas eles fazem isso para estimular a pechincha. Para alguns, cobrar menos é sair no prejuízo", completa.

A estudante Cássia Almeida concorda com a opinião de Antônio. Não uso mototáxi porque dá quase no mesmo que andar de táxi. Eles cobram um absurdo e nem todos sabem atender bem. Andam rápido demais nas motos e colocam nossa vida em risco. Prefiro andar de ônibus", diz a universitária.

Alguns profissionais do ramo desconhecem a nova medida e estão receosos com a implantação do motocímetro, mas acham que a atitude vale a pena.

Para o mototaxista João Ferreira, só será possível ter uma opinião formada quando ele estiver vivenciado a experiência, mas ele pensa que a decisão pode melhorar a impressão pública a respeito do serviço. "O lucro tende a diminuir, mas a quantidade de corridas aumentará, assim como a confiança dos clientes. Vamos ver se dá certo", diz.

Fonte: Olegário Borges