Mulher com alergia rara à água pode vir a morrer se começar a chorar

A mulher de Hartlepool, em County Durham, Inglaterra, é limitada a apenas dois banhos de um minuto por semana

Uma mãe de dois filhos chamada Barbara Ward não pode suar, e deve ficar longe das chuvas e tarefas domésticas comuns por conta de uma alergia grave à água.

A mulher de 43 anos de idade é tão alérgica à água que suas lágrimas podem matá-la. Ward foi diagnosticada com a doença rara após ser hospitalizada quando um chuveiro lhe causou um choque anafilático grave.


Mulher com alergia rara à água pode morrer se começar a chorar

Qualquer contato com água provoca erupção cutânea dolorosa e ranhuras no peito. Por isso ela necessita tomar fortes doses de anti-histamínicos a cada dia. Barbara não pode, sequer, beber água pura, e só pode tomar alguns goles de chá ou leite de cada vez. Ela não pode exercitar, pois assim suaria. Deve evitar filmes dramáticos para não chorar e não pode sair de casa nos dias de chuva.

Mesmo as mais simples tarefas do dia-a-dia, como lavar os pratos, dar banho nos filhos ou até mesmo ir ao bar beber poderia matá-la.

A mulher de Hartlepool, em County Durham, Inglaterra, é limitada a apenas dois banhos de um minuto por semana, o que, mesmo assim, a deixa com dor insuportável.

Sua condição, urticária aquagênica, é tão rara que afeta apenas uma em 230 milhões de pessoas, e os médicos ainda não são capazes de explicar o que faz com que os sintomas apareçam.

Agora ela tem que tomar anti-histamínicos ao longo do dia para manter sua saúde. Seu marido, Michael, de 46 anos, tem que realizar todas as tarefas domésticas, como limpar, cozinhar e lavar roupa.

Ele ainda leva seus filhos, Nathan, de 23 anos, Jordânia, de 19, Natalie, de 11, e Jasmine, de 5, para realizar as refeições durante finais de semana ou em férias, sem que a mãe os acompanhe.

Barbara não bebe um copo de água pura há 20 anos. Ela disse: "Eu realmente não entendo como funciona, o meu corpo é feito de água! Ninguém sabe nada sobre a condição, e eu estou perdida. Por alguma razão, eu sempre me dei bem com chá e leite.?

A mulher recebeu o apoio de instituições de caridade do Reino Unido, que estão tentando lhe fornecer uma vida normal, com trabalhos para ajudá-la no dia-a-dia.

Fonte: Daily Mail