Mulher de 34 anos que pesa apenas 24 kg passa por consulta em Bauru

Um pedido de internação foi encaminhamento para a Diretoria Regional de Saúde para que seja providenciado um tratamento clínico

A moradora de Bauru (SP) que sofre de anorexia nervosa e pesa apenas 24 quilos distribuídos em 1,56 metro, passou por uma consulta no Centro de Atenção Psicossocial (Caps) na manhã desta quarta-feira (9) e foi atendida por uma psicóloga e também passou por um psiquiatra que já tratou dela outras vezes.

Um pedido de internação foi encaminhamento para a Diretoria Regional de Saúde para que seja providenciado um tratamento clínico especializado, o que depende da disponibilidade da Secretaria de Saúde do Estado. Já o estado informou que não havia recebido até o começo da tarde a solitação formal e ressaltou que o encaminhamento vem em decorrência de uma avaliação inicial clínica em uma unidade básica de saúde ou, em situações agudas, pelo Pronto-Socorro Municipal.

A mulher que sofre de aneroxia disse que não conseguiu dormir na última noite por causa da ansiedade do que poderia ocorrer. ?Tomei o meu calmante, mas não consegui dormir pensando como seria. Porque é tudo muito difícil para mim. Só eu que estou passando sei do sofrimento. E quero muito ficar boa e sair dessa. O meu medo é de ser apenas mais uma tentativa como das outras vezes. Mas sou forte e vou lutar para sair dessa?, contou logo que chegou às 8h para o atendimento no Caps.

Com 34 anos hoje, a ex-gerente de restaurante espera por uma vida nova. ?Vou ser um exemplo de superação para a minha filha, mas para todos os outros que me julgavam como incapaz. Eu quero, eu posso e eu vou conseguir?, desabafou.

Ela teve dois momentos de crises. Entre os 13 e 17 anos, durante o período escolar e, nos últimos três anos, quando a situação se agravou. Entre as fases, a mulher se casou, teve uma filha, hoje com 12 anos, e ainda encarou o término do casamento. Além do lado pessoal, o profissional também piorou ainda mais a saúde dela. Pelo menos até terça-feira (8), a ex-gerente se alimentava praticamente com água.

A mãe da paciente acredita na recuperação. ?Agora eu sei que vai. Que vou conseguir tudo o que mais queria para ela e poder sair dessa?, disse Tereza Alves. A tia Ana Alves, que acompanha os últimos anos de luta da sobrinha que vê-la saudável novamente. ?É o que eu mais quero na minha vida. Estou muito grata e, agora, tenho certeza que vai dar certo?.

A anorexia nervosa é caracterizada pela perda excessiva de peso. O transtorno psiquiátrico é o mais mortal que se tem registro: 20% das pacientes não sobrevivem. Por isso, a mais interessada em querer melhorar quer se tornar um exemplo. ?Não é fácil e espero que muitas que estejam vendo o que estou passando saíam dessa. É muito sofrido?, finalizou o ex-gerente.

Outros profissionais também se colocaram à disposição para atender a paciente de graça. Os contatos foram encaminhados para a família dela.





Fonte: G1