Mulher é internada com sintomas de gripe suína

Exames preliminares de sangue e de tomografia do pulmão mostraram que ela está com pneumonia

Uma mulher de 44 anos está internada desde domingo (26) no hospital Copa D"Or, no Rio, com sintomas de gripe suína. Vinda de Nova York (Estados Unidos), onde passou dez dias, a paciente desembarcou sábado no Rio com febre e dores no corpo.

Exames preliminares de sangue e de tomografia do pulmão mostraram que ela está com pneumonia. Por precaução, a Vigilância Sanitária foi acionada e, nesta terça, foram coletadas amostras de sangue, secreção e tecidos da mulher.

A própria Vigilância encaminhará o material para análise laboratorial. A paciente permanece internada no hospital sob observação.

Este é o 13º caso monitorado no país até agora e o terceiro no Rio. Ontem (27), um homem de 40 anos vindo de Miami, também nos Estados Unidos, foi internado em um hospital em Salvador (BA) com sintomas da doença. Reclamando de dores no corpo, com tosse e febre alta, o paciente deu entrada no hospital Otávio Mangabeira logo após desembarcar na cidade e continua em observação nesta terça.

Na segunda, o Ministério da Saúde divulgou nota informando que acompanha o estado de saúde de pessoas que vieram dos países afetados pela doença com sintomas suspeitos. De acordo com o órgão, no entanto, nenhum caso havia sido confirmado até a noite de ontem. "Até o momento, nenhuma dessas pessoas preenche a definição de caso suspeito conforme os critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde", informou.

Segundo o ministério, três casos estão sendo investigados em Minas, dois no Amazonas, outros dois no Rio Grande do Norte, um em São Paulo e o último no Pará. As pessoas estão sendo monitoradas pelas respectivas secretarias estaduais de Saúde.

Nesta terça-feira, o gabinete de acompanhamento da gripe suína, formada por técnicos dos ministérios da Saúde e da Agricultura e da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), irá se reunir ao longo do dia para avaliar a situação.

No Brasil, desembarcam diariamente cerca de 7.000 passageiros provenientes de México, Estados Unidos e Canadá. São 19 voos diretos dos EUA para Cumbica (SP), dois para o Galeão (RJ), dois para Manaus (AM), um para Salvador (BA) e um para Fortaleza (CE) e outros dois voos diretos do México para São Paulo.

Prevenção

Segundo a Anvisa, foram enviados 20 mil folhetos educativos sobre a doença para o aeroporto de Guarulhos (SP), 20 mil para o Galeão (RJ), outros 20 mil para Confins (MG) e 20 mil para Salvador.

Os folhetos, em português, espanhol e inglês, listam os sintomas da doença e orientam as pessoas que chegaram do México, Estados Unidos ou Canadá a procurarem o hospital. Ao todo, serão feitos 1 milhão de panfletos.

Além disso, estão sendo veiculados avisos sonoros nos três aeroportos e em Salvador, Fortaleza e Recife alertando sobre a doença e os aviões que partem do México, Estados Unidos e Canadá com destino ao Brasil receberam a determinação de orientar os passageiros.

O Ministério da Saúde informou ainda que, nesta segunda-feira, atendentes do Disque Saúde --que funciona no número 0800-61-1997-- foram treinados para tirar dúvidas da população sobre a doença.

Sintomas

A gripe suína é uma doença respiratória causada pelo vírus influenza A, chamado de H1N1. Ele é transmitido de pessoa para pessoa e tem sintomas semelhantes aos da gripe comum, com febre superior a 38ºC, tosse, dor de cabeça intensa, dores musculares e articulações, irritação dos olhos e fluxo nasal.

Para diagnosticar a infecção, uma amostra respiratória precisa ser coletada nos quatro ou cinco primeiros dias da doença, quando a pessoa infectada espalha vírus, e examinadas em laboratório. Os antigripais Tamiflu e Relenza, já utilizados contra a gripe aviária, são eficazes contra o vírus H1N1, segundo testes laboratoriais, e parecem ter dado resultado prático, de acordo com o CDC (Centros de Controle de Doenças dos Estados Unidos).

Alerta internacional

Só na segunda-feira, o surto no México se agravou --mais de 1.600 pessoas foram atingidas pela doença e as mortes suspeitas chegaram a 149--; os casos nos EUA dobraram e chegaram a 40; o Canadá confirmou sete casos; e houve, pela primeira vez, casos em um outro continente, a Europa: um caso na Espanha e dois na Escócia.

No total, 11 países --Colômbia, Suíça, Dinamarca, Reino Unido, Nova Zelândia, Israel, Suécia, Hong Kong, França, Peru e Alemanha-- investigam casos de suspeita de gripe suína, sempre envolvendo passageiros que estavam em trânsito no México ou pessoas que tiveram contato direto com esses passageiros.

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br