Mulher foi parada em estrada com corpo de executivo da Yoki

Na quarta-feira, Elize confessou em depoimento

Elize Matsunaga, que confessou ter matado e esquartejado o marido, foi parada na rodovia SP-127, em Capão Bonito, no interior de São Paulo, enquanto transportava o corpo de Marcos Matsunaga, executivo da Yoki, no porta-malas. Segundo informou a Polícia Militar em nota, ela estava com o licenciamento vencido havia 20 dias. Ele foi multada na base da polícia rodoviária do Estado e seguiu viagem.

De acordo com o Jornal Nacional, a mulher do empresário seguia para o Paraná, onde mora sua família, mas decidiu voltar no meio do caminho. Após ser multada, ela viajou mais 180 km e desovou as malas com partes do corpo do empresário em Cotia, na Grande São Paulo.

Pelo Código de Trânsito Brasileiro, o veículo sem o devido licenciamento deve ser apreendido. Porém, ordem de serviço do Comando de Policiamento Rodoviário de São Paulo determina que deve ser apenas recolhido o documento e realizada a autuação nos casos do licenciamento vencido por até 30 dias, "haja vista que a pessoa terá de se deslocar por meios próprios, o que nem sempre é possível".

Segundo a PM, o carro não foi revistado porque se tratava de uma abordagem administrativa, com o objetivo de verificar itens como documentação, condições de segurança e itens obrigatórios. Além disso, Elize não estava em atitude suspeita, o que determinaria uma vistoria no carro.

Fonte: Terra, www.terra.com.br