Município de Campo Maior convive com epidemia de virose sazonal

Município de Campo Maior convive com epidemia de virose sazonal

As viroses sazonais, por conta das chuvas, aumentaram significativamente nestes dias, e com isto também a procura por atendimentos nos postos de saúde da Atenção Básica do Município de Campo Maior e no Hospital Regional no setor de urgência e emergência para o tratamento de viroses sazonais. Elas marcam o final do período chuvoso no município.

O secretário municipal de Saúde de Campo Maior, Marcelo Pereira, e a coordenadora da Atenção Básica, Lúcia Leonara, explicaram que as viroses, que têm acometido a população neste período com sintomas de dor no corpo, nas articulações, coriza, febre e dor de cabeça muito parecidos com os da dengue, sempre ocorrem quando há mudança no clima, e aumentam muito no período de chuva e sol.

"Estas viroses não se tratam de dengue, que está controlada em Campo Maior", destacou o secretário de Saúde. Segundo dados recentes da Estratégia de Saúde da Família e do Hospital Regional de Campo Maior, de janeiro de 2015 a abril foram notificados 70 casos de dengue e apenas três confirmados.

A parceria do município com o HRCM tem ajudado a identificar por meio do teste rápido nos pacientes o que é dengue e o que é uma virose sazonal. "As viroses costumam durar no máximo sete dias, o próprio organismo se encarrega de reverter", orientou a enfermeira Lúcia Leonara, segundo ela, as orientações médicas são para que os pacientes tenham repouso e tomem muito líquido.

Fonte: Jornal Meio Norte