"Não serão em dez anos que vamos levar a paz para o Alemão', diz Pezão

Pezão falou sobre a investigação sobre a morte do menino Eduardo, que na última quinta-feira foi atingido por um tiro na cabeça enquanto brincava na porta de sua casa.

O governador Luiz Fernando Pezão afirmou, nesta segunda-feira, que o fim da violência no Complexo do Alemão está longe de acontecer. Pezão declarou que a comunidade onde na semana passada dois moradores (Eduardo Ferreira, de 10 anos, e Elizabeth Alves, de 41) foram mortos vítimas de bala perdida, além de Manguinhos e Rocinha, todas pacificadas, têm preocupado a cúpula da segurança. No Alemão, por exemplo, o Estado planeja a reocupação da região, que segue nesta segunda-feira como o policiamento reforçado.

"É um processo que a gente tem sempre que reavaliar. Foram 20, 30 anos de abandono dentro dessas áreas. O próprio Alemão era a central do crime organizado. Não vão ser 8, 10, 15 anos que vai levar a paz. É um processo permanente que vamos ter que estudar essa criminalidade", disse em entrevista.

Pezão falou sobre a investigação sobre a morte do menino Eduardo, que na última quinta-feira foi atingido por um tiro na cabeça enquanto brincava na porta de sua casa. "A gente já vem investigando e eu tenho certeza que a Secretaria de Segurança e a Polícia Civil vão dar uma resposta muito rápida nesses próximos dois, três dias. Quanto a isso eu não tenho dúvida nenhuma. A gente tem feito um grande trabalho. A Polícia Civil tem trabalhado muito em todas essas investigações. É importante a gente ressaltar isso. A gente sabe que é difícil o combate à violência nessas comunidade, mas hoje a Polícia Civil pode entrar lá e apurar. Quando é o caso, se tiver que cortar na própria carne a gente corta. Como foi na Rocinha, como foi em diversos locais onde a gente teve problema", afirma.

Segundo o governador, a polícia vem nos últimos meses aumentando o número de prisões no Estado. "A gente vem desde agosto batendo recorde de prisões. É um recorde ruim, mas todo mês a gente prende mais gente. A gente está em um trabalho de reforçar, formar mais policiais. Só nesse ano, janeiro, fevereiro e março, nós já formamos 1,1 mil policiais. Agora vamos começar a contratar do concurso que fizemos para 6 mil policiais".

O trabalho do secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, foi defendido pelo governador. "O Beltrame é uma pessoa dedicada 24 horas por dia em segurança pública. Nós temos esses ganhos como a redução de homicídios em fevereiro, que é a menor da história. Eu tenho certeza que a gente vai diminuir esses índices da mancha criminal", finaliza.

Fonte: IG