No último adeus, multidão lota às ruas de Recife para assistir missa de Eduardo Campos

No último adeus, multidão lota às ruas de Recife para assistir missa de Eduardo Campos

No último adeus, multidão lota às ruas de Recife para assistir missa de Eduardo Campos

Uma multidão se aglomera, neste domingo (17), no entorno da praça da República, no centro do Recife, onde está sendo realizado o velório do ex-governador Eduardo Campos.

Segundo a Polícia Militar, cinco ruas estão ocupadas por pessoas que vieram acompanhar a missa campal de corpo presente, realizada pelo arcebispo do Recife e Olinda, Dom Fernando Saburido.

A cerimônia religiosa reuniu em um só palanque as maiores figuras políticas do país, como a presidente Dilma Rousseff (PT), o senador Aécio Neves (PSDB), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a ex-ministra Marina Silva, o governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB). Além deles, Alexandre Padilha (PT) e José Serra estão presentes.

As autoridades e candidatos foram recebidos pelo governador de Pernambuco, João Lyra Neto (PSB). Nenhum deles conversou com os jornalistas.

Na chegada, Lula e Dilma -que vieram juntos-- chegaram a ser vaiados, mas em seguida foram recebidos com muitos aplausos.

Dois telões foram montados ao lado do palanque onde acontece o velório, para que o público acompanhe a missa. Durante a celebração, a passagem ao lado dos caixões do ex-governador e de outras duas vítimas --o assessor de imprensa Carlos Percol e o fotógrafo Alexandre Severo--, foi suspensa.

Público carrega bandeiras do PSB distribuídas pelas ruas
O público carrega centenas de bandeiras distribuídas com o pássaro símbolo de PSB, partido de Campos. Muitas bandeiras de Pernambuco também são vistas com os simpatizantes de Campos. Há também várias camisas do Sport, time do assessor de imprensa de Campos, Carlos Percol, que também morreu no acidente.

Já o caixão com o corpo do fotógrafo Alexandre Severo está coberto com a bandeira do Santa Cruz, seu clube de coração.

No jardim do palácio Campo das Princesas estão aglomeradas centenas de coroas de flores que vieram de todo o país em homenagem a Eduardo Campos.

Durante a celebração, um dos poucos políticos a falar com a imprensa foi o senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE), que foi opositor de Campos e de seu avô, Miguel Arraes, mas há dois anos se uniu ao ex-governador. "Sem dúvida Eduardo foi o maior político da sua geração. Um grande nome, perdido de forma abrupta, trágica", comentou.

Às 16h, os caixões devem deixar o palácio em novo cortejo para o cemitério Santo Amaro, que fica a 2km do local do velório. O enterro está marcado para as 17h.

Chegada teve cortejo de 22 km e gritos de "Justiça"
Durante a madrugada, várias autoridades, amigos e líderes de partidos recepcionaram a chegada dos corpos, que também foi acompanhada por cerca de 2.000 pessoas que esperavam desde o início da noite do sábado (16) para se despedir do ex-governador.

Na chegada, o caminhão do Corpo de Bombeiros foi recepcionado com gritos de "justiça" e "Eduardo, guerreiro do povo brasileiro". Ao descer do carro onde estava, Marina Silva também foi recebido com gritos de seu nome. O caixão de Campos estava coberto por bandeiras de Pernambuco e do Brasil.

Em cima do carro dos Bombeiros vieram os três filhos mais velhos de Campos, João, Pedro e Maria Eduarda. A viúva Renata Campos estava em uma outra viatura dos Bombeiros, com o bebê Miguel, de sete meses, e os demais filhos.

O cortejo percorreu 22 km, passando por bairros da periferia, antes de chegar ao local do velório, sendo saudado pela população, que fez dezenas de manifestações de solidariedade durante o percurso.

Fonte: UOL