Nova escola deve atender 350 alunos da educação infantil na zona Sul de Teresina

Além da nova estrutura, os alunos do CMEI Ariano Suassuna, no bairro Esplanada, dispõem de aula com professores qualificados e prática de esportes

O dia a dia da dona de casa Maria Antonia dos Santos e Silva, 27 anos, mãe de três filhos, sofreu uma brusca mudança. Moradora no recém-criado residencial Portal da Alegria, zona Sul de Teresina, precisava levar as crianças de ônibus para a escola, localizada no bairro Esplanada.

A inauguração do Centro Municipal de Ensino Infantil Ariano Suassuna, bem próximo de sua casa, fez com que as crianças passassem a ir e voltar da escola com mais segurança. A creche foi entregue na última quarta-feira (22), em uma solenidade com a participação da comunidade e dos pais dos alunos.

“Quando soube que seria construída a escola, passei a vir aqui sempre, perguntando quando poderia matricular meus filhos. Fui muito bem recebida pela equipe e fiquei muito feliz com a qualidade da estrutura, com a qualidade da equipe pedagógica”, afirmou Maria Antonia. A escola é composta por seis amplas salas de aula e tem capacidade para 350 alunos de três a seis anos de idade.

Assim como o CMEI Ariano Suassuna, a população tem visto escolas com boa estrutura, que permitem aulas de qualidade, prática de esportes e a frequência da família durante toda a semana, assim como professores com qualificação.

A política de educação tem sido prioridade da gestão municipal nos últimos três anos. Teresina tem visto uma média de uma sala de aula entregue a cada 11 dias.

Esse dado revela que a prefeitura vem acompanhando a expansão da cidade, levando educação aos novos conjuntos habitacionais e permitindo que as crianças estudem nas proximidades de casa.

Além disso, há uma preocupação com a qualidade do ensino, principalmente na introdução de disciplinas complementares na grade curricular que permitam o contato dos alunos com a arte e o esporte.

“Temos projetos para fazer com que os jovens e as crianças venham para a escola para prática de voleibol, capoeira, futebol de salão, judô, dança, música, ou seja, isso é um currículo que a gente pode chamar de integral.

Não apenas recebemos as crianças às 7h e devolvemos às 17h para a família. No currículo você tem não só a parte do ensino curricular, mas também tem cultura, esporte, que entram como componente curricular de uma formação integral”, diz o secretário municipal de Educação, Kléber Montezuma.

Ele ressalta que, desde o ano passado, estão sendo investidos mais de R$ 50 milhões na ampliação e recuperação de escolas, cobertura de quadras, construção de ginásios cobertos e esses espaços são multiuso, tanto a escola como a comunidade usam.

 

Fonte: Jornal Meio Norte