Número de CAPS infantil está bem abaixo do ideal em THE

Para atender à demanda, a capital precisaria ter pelo menos nove Centros desse tipo voltados para crianças.

A maioria do público infantil de Teresina que necessita dos serviços de um CAPS (Centro de Atenção Psicossocial) precisa ser atendido junto com adultos e idosos, já que a cidade possui apenas um CAPS Infantil. Para atender à demanda, a capital precisaria ter pelo menos nove Centros desse tipo voltados para crianças.

O Ministério da Saúde determina que deve haver um CAPS para cada 70 mil habitantes, proporção que não é respeitada em Teresina. Por causa disso, as crianças são atendidas junto com pessoas de todas as faixas etárias. Apesar de o Ministério da Saúde determinar que os CAPS devem atender pessoas com idade entre seis e 110 anos de idade, o ideal, segundo a gerente de saúde mental da Secretaria Estadual de Saúde (Sesapi), Leda Trindade, é que haja Centros de Atenção Psicossocial voltados para o público infantil.

?A metodologia utilizada para o tratamento do público infanto-juvenil é totalmente diferente daquela usada com adultos e idosos. Vejo a falta de CAPS infantil como um prejuízo muito grande, pois a questão infantil é bem mais complexa. Quando se tem um Centro voltado para esse público, os profissionais são capacitados para lidar especificamente com eles?, afirmou.

Hoje Teresina possui apenas um CAPS Infantil, que é de gestão do Estado, mas ele não é suficiente para atender nem mesmo metade da demanda da capital. Além de ser o único, ele está em reforma, mas continua em funcionamento, em um espaço no Hospital Areolino de Abreu. Dentro de três meses, a reforma deverá ser concluída. Em todo o Piauí, além do CAPS de Teresina, existe apenas mais um, na cidade de Paulistana.

O ideal, segundo Leda, já que muitos municípios não podem ter um Centro, por não possuir a população miníma exigida para sua implantação, é que o Estado seja dividido em territórios e sejam implantados CAPS em cada um deles.

Já no caso de Teresina, ela afirma que já estão sendo articuladas formas de se sanar essa demanda junto ao município. ?Já estamos conversando com o município, para poder realizar a implantação de mais CAPS?, disse. Ela adiantou que ainda este ano será implantado na capital, sob a gestão do município, um CAPS Infantil AD III. Esse tipo de serviço será voltado para atendimento de pacientes com transtornos decorrentes do uso e dependência de substâncias psicoativas, como álcool e outras drogas.

Fonte: Pollyana Carvalho