Número de mortos em naufrágio na Indonésia sobe para 29

A noite e as condições climáticas adversas dificultavam as operações de resgate

Pelo menos 29 pessoas morreram, 17 estão desaparecidas e 245 foram resgatadas com vida nesta domingo após o naufrágio, pela manhã, de um ferry entre Cingapura e a ilha indonésia de Sumatra, informaram fontes oficiais. Várias horas depois da tragédia, o balanço continuava incerto.

A noite e as condições climáticas adversas dificultavam as operações de resgate. O ferry Dumai Express afundou às 10h locais (1h de Brasília) perto da pequena ilha de Karimum, na entrada do estreito de Malacca. "Havia 291 pessoas a bordo do ferry", declarou à AFP Rustam Pakaya, chefe da célula de crise do ministério indonésio da Saúde. "Segundo nossas informações, 29 pessoas morreram e 245 foram resgatadas, o que significa que 17 continuam desaparecidas", explicou.

A embarcação "foi provavelmente vítima das altas ondas e das fortes chuvas", disse à AFP o oficial de polícia Boy Herlambang. As operações de resgate "são prejudicadas pelo mau tempo", destacou. "As fortes ondas submergiram o ferry e provocaram várias fissuras no casco, por onde a água entrou. O barco afundou em meia hora", afirmou à AFP o tenente-coronel Edwin, da Marinha indonésia. "Os passageiros provavelmente se atiraram ao mar enquanto o ferry afundava", acrescentou. Ondas de três metros De acordo com Iskandar Sitompul, porta-voz da Marinha, o ferry, que ia para Sumatra, foi desequilibrado por ondas de três metros de altura.

Devido à proximidade das costas, os socorristas foram acionados rapidamente. Muitos passageiros foram resgatados por pescadores. "Vi crianças em pânico correndo por todos os lados. Não havia coletes salva-vidas para todos", contou um sobrevivente à rede de televisão TVOne. Há suspeitas de que o Dumai Express levava um número de passsageiros superior a sua capacidade. Segundo a polícia, o livro de bordo mencionava 226 pessoas a bordo, entre elas 13 tripulantes.

A capacidade máxima do ferry era de 273 passageiros. Superlotação Sunaryo, diretor-geral dos Transportes Marítimos na Indonésia, anunciou a abertura de uma investigação para determinar se houve superlotação, se o ferry estava apto a navegar e se o capitão errou ao seguir viagem apesar das condições climáticas adversas. Outro ferry da mesma companhia que fazia a ligação entre Dumai à ilha de Moro também teve problemas com o mau tempo neste domingo, mas nada aconteceu com seus 270 passageiros, informou o ministério dos Transportes.

Os naufrágios são frequentes na Indonésia, um imenso arquipélago de 234 milhões de habitantes e mais de 17.000 ilhas e ilhotas onde o ferry é um dos principais modos de transporte. Em janeiro, o naufrágio de um ferry perto da ilha de Sulawesi deixou 335 mortos. Em dezembro de 2006, mais de 400 pessoas morreram quando um ferry afundou ao largo de ilha de Java.

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br