Obra parada na Avenida Henry Wall de Carvalho revolta moradores e comerciantes

Obra parada na Avenida Henry Wall de Carvalho revolta moradores e comerciantes

Enquanto a obra não é concluída, todos têm que se adaptar a um cenário de muita poeira e lama quando chove

A obra de restauração e pavimentação da Avenida Henry Wall de Carvalho, zona Sul de Teresina, iniciada no dia 7 de março, está parada há dois meses, trata-se de um investimento de mais de R$ 6 milhões.

A revolta dos moradores e comerciantes do local é a paralisação dos trabalhos. Enquanto a obra não é concluída, todos têm que se adaptar a um cenário de muita poeira e lama quando chove. Uma comerciante, que já está com problema de saúde, tenta manter limpo o comércio, mas não está conseguindo. ?Eu estou tendo muito prejuízo, estou perdendo venda e mercadorias?.

Outra consequência negativa é o trânsito caótico. Veículos tiveram que usar pistas na contramão e veículos temem quebrar os carros. Os motoristas e a população já não entendem mais o que está acontecendo.

O comerciante Antonio Lima, morador do bairro há vários anos, acompanha o problema de perto e garante que nunca tinha visto tanta desordem. ?Está um verdadeiro descaso. Imagino até que não tem prefeito nesta cidade. Isso sem falar que a obra iniciou a 60 dias e está parada. Não tem sinalização, está tudo quebrado e tem muitos buracos, além de não ter ninguém da Strans para organizar o trânsito.?



O superintendente executivo da SDU ? Sul, Paulo Roberto, diz que a empresa está tendo dificuldades em razão do período invernoso e que pediu um tempo para retomar as atividades. ?Por parte da Prefeitura não há problema de continuidade da obra. A Sucesso está alegando que começou a obra durante o inverno num período difícil de trabalhar e, por isso, pediu uma paralisação de 30 dias e a Prefeitura está estudando esse pedido.?

O presidente apontou outra dificuldade na solução do trânsito no local. ?Um dos maiores problemas da Henry Wall é que não há nenhuma via paralela a ela que dê para desviar o tráfego?, encerra.

Fonte: Denison Duarte