Obras de creche atrasam por mais de seis meses e crianças não tem onde ficar

Até agora o local onde abrigaria a creche permanece apenas um canteiro de obras e as famílias reclamam da falta de vagas para atender à seus filhos.

CONFIRA A REPORTAGEM COMPLETA NA EDIÇÃO DESTA SEXTA-FEIRA (09) DO JORNAL MEIO NORTE

Há quase um ano, uma creche no bairro Sigefredo Pacheco, na zona leste de Teresina, teve suas obras iniciadas com conclusão prevista para o mês de julho de 2014. Até agora o local onde abrigaria a creche permanece apenas um canteiro de obras e as famílias reclamam da falta de vagas para atender à seus filhos.

Com a promessa de serem equipadas com ambientes essenciais para a aprendizagem das crianças, como salas de aula, sala de informática, sala de professores, bibliotecas, sanitários, fraldários, refeitório, entre outros ambientes, que permitem a realização de atividades pedagógicas, recreativas, esportivas e de alimentação, além das administrativas e de serviço, a creche do Sigefredo Pacheco está com obras em ritmo lentíssimo, como denunciam os moradores.

Para Antônio Marcos, a população de mais de 10 mil habitantes do Sigefredo Pacheco e conjuntos vizinhos não tem garantido o direito constitucional garantido à educação: “As mães do nosso bairro não tem onde deixar os filhos. Essa é a grande verdade! Não temos a creche que deveria ter sido inaugurada há seis meses e, as creches que tem são em outros bairros e a prioridade são para as crianças de lá. As daqui não tem onde ficar.”

A fala de Antônio é compartilhada com a de Diana da Silva, mãe do pequeno João Paulo de um ano. Ela conta que não pode trabalhar por ter que cuidar do garoto: “A gente tem que acabar ficando em casa em tempo integral por não ter onde deixar nossos filhos. Eu fui procurar vaga na creche do Satélite e já estava com vagas esgotadas. Agora vai ser mais um ano sem poder trabalhar e meu filho sem aprender o que poderia estar aprendendo na creche.”

Fonte: Victor Costa