Obras de rebaixamento da avenida Nossa Senhora de Fátima finalizam em uma semana

Mas como choveu bastante, eles adiaram para não comprometer a qualidade da obra. Falta só os ajustes finais, que devem acontecer em dois ou três dias.

O andamento avançado da primeira etapa da obra de rebaixamento da Avenida Nossa Senhora de Fátima, na zona Leste de Teresina, leva os técnicos responsáveis pela construção a indicar que a obra deve ficar pronta em uma semana.

O trecho, que sofre rebaixamento em uma área para proporcionar o escoamento mais rápido da água durante as chuvas, está em fase de finalização e carece apenas do asfaltamento da via e conclusão do estacionamento de veículos na calçadas dos estabelecimentos.

Segundo o topógrafo da obra, o asfaltamento estava previsto para acontecer desde a última quinta-feira (19), mas as chuvas impediram a execução da etapa. Já o término da construção dos estacionamentos para carros deve acontecer ainda neste sábado.

“O andamento da obra está acontecendo de acordo o cronograma e deverá ser en-tregue no prazo. A terraplanagem está feita e falta apenas asfaltar a via e concluir o estacionamento para veículos que fica na calçada dos estabelecimentos.

Mas como choveu bastante, eles adiaram para não comprometer a qualidade da obra. Falta só os ajustes finais, que devem acontecer em dois ou três dias.

Depois disso acontece o asfaltamento, que também é rápido de fazer. Até o fim da próxima semana este lado da via deve ser entregue”, afirma o topógrafo José Fernandes Costa Mendes.

O passo seguinte é realizar o rebaixamento do outro lado da pista, que não foi interditado e continua proporcionando o deslocamento de veículos. O trecho será interditado imediatamente após a liberação da parte que está em obras. Mas, apesar de ser uma construção importante para a região, a obra vem causando transtornos para os comerciantes que atuam ali.

Eles reclamam que o movimento caiu consideravelmente durante um período que já não é muito bom para o comércio. É o caso do empresário Paulo Roberto, que possui um restaurante no mesmo lugar da obra.

Ele denuncia que perdeu mais da metade dos rendimentos e, como depende do arrecadado em seu restaurante, está sem alternativas para reaver o prejuízo.

“Esta obra não só atrapalhou meus negócios, ela me matou. A gente sabe que ela tem que ser feita, mas prejudicou demais o movimento em minha loja, que caiu mais de 50%. Deram previsão de asfaltamento para segunda-feira, mas nem sei. O período chuvoso é muito ruim para os negócios.

A gente já não está vendendo, a esperança é o final de semana, quando o movimento aumenta. Mas depois que começaram as obras da calçada o acesso ficou muito mais difícil. Está muito ruim. Muito ruim mesmo”, desabafa o empresário Paulo Roberto.

O rebaixamento de parte da Avenida Nossa Senhora de Fátima foi iniciado dia 20 de janeiro, com previsão de 30 dias para a conclusão. Parte da via foi rebaixada para evitar o acúmulo de água na pista e assim evitar os alagamentos que são bastante comuns no local.

A obra não deveria atrapalhar o cotidiano de quem tem negócios a resolver nas lojas, empreendimentos e instituições localizadas na avenida, posto que no primeiro momento o trânsito foi interditado em apenas um lado da pista.

Entretanto, para evitar transtornos, a Prefeitura de Teresina recomenda que o condutor utilize as avenidas do entorno, como a Rua Raimundo Portela e a Avenida Elias João Tajra.

Fonte: Olegário Borges