Obras do Hospital do Monte Castelo são retomadas;fotos

A segunda etapa da ação foi iniciada na última semana, orçada em 2,5 milhões, através de recursos provenientes da Prefeitura Municipal de Teresina.

CONFIRA A REPORTAGEM COMPLETA NA EDIÇÃO DESTA TERÇA-FEIRA (24) DO JORNAL MEIO NORTE.

Anos de atraso e reclamações homéricas. A obra que deveria ser entregue em julho de 2012, acabou enfrentando conturbações no caminho e a população pagou caro por isso. Sem grandes alternativas, moradores da região clamam pelo fim da saga, a unidade que atende atualmente é insuficiente para a demanda e sequer tem condições de suportar casos mais graves. Desse modo, o povo se torna refém e teme perder tempo diante de urgências médicas; o fio da meada encontra inúmeras hastes; a conclusão dessa epopeia parece estar perto do fim e caso não esteja, os grandes prejudicados pela falta do hospital prometem ir para a batalha. A sorte está lançada e apenas o tempo será capaz de responder se dessa vez o projeto será concluído ou não.



A segunda etapa da ação foi iniciada na última semana, orçada em 2,5 milhões, através de recursos provenientes da Prefeitura Municipal de Teresina. Com prazo de entrega para novembro, os moradores não acreditam que o cronograma será cumprido; a polêmica envolvendo a demora já se espalhou entre toda a comunidade, que agora ameaça impetrar um processo no Ministério Público caso o hospital não comece a funcionar na data prevista. ?Já é a sexta vez que falam em inaugurar, nós temos sofrido muito com a falta dessa unidade?, destaca o assessor de comunicação da associação de moradores Cleirton Fontenele.



Até mesmo manifestações estão sendo planejadas, a situação tornou-se insustentável e a promessa é de bastante cobrança durante os próximos meses. ?Nós estamos nos organizando, em relação a ação no MP já temos todos os documentos?, impõe. Essa, porém, não é a primeira batalha dos residentes na região envolvendo o hospital. ?Em 2013 realizamos o SOS Monte Castelo, onde reunimos mais de duas mil assinaturas reivindicando a retomada das obras?, converge Fontenele. O assessor ainda aponta para um direito. ?Somos cidadãos, pagamos nossos impostos para ter os serviços essenciais e precisamos exercer nossa cidadania?, limita.



A obra é de responsabilidade da Fundação Hospitalar de Teresina, o gerente de engenharia e arquitetura do órgão acredita que dessa vez o cronograma será respeitado. ?Foi feita uma nova licitação, e ela está sendo reiniciada agora, é um contrato novo, com uma nova empresa?, destaca João de Deus Souza. Ele ainda explica o que aconteceu anteriormente para que o prazo inicial fosse extrapolado. ?A empresa pediu a rescisão do contrato, alegou que não tinha condições para concluir o projeto?, detalha. Essa dificuldade foi um empecilho, contudo o rompimento aconteceu de forma amigável. ?Foi feito um destrato amigável entre a construtora e a prefeitura?, especifica.



Para a conclusão da obra é necessário construir a cobertura, toda a parte de revestimento, instalações elétrica, hidráulica e sanitária e o piso. O Hospital do Monte Castelo terá 39 leitos, sendo 28 em enfermarias clínicas para adultos e 11 leitos para pediatria distribuídos em 4 enfermarias, serão cinco consultórios médicos e um odontológico, auditório e adequadas áreas para administração. A estrutura antiga do prédio foi pouco aproveitada.











Fonte: Francy Teixeira