Ônibus de turismo bloqueiam BR-316 em protesto contra ANTT

Os trabalhadores se manifestaram contra a resolução Nº 4.777

O protesto realizado por motoristas e proprietários de transportes de turismo, que aconteceu na manhã de terça-feira (25), na BR-316, zona Sul de Teresina, teve adesão de aproximadamente 120 transportes, como ônibus e vans. Outros motoristas também realizaram a ação em outros pontos da cidade.

Os trabalhadores se manifestaram contra a resolução Nº 4.777 da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) que limita a circulação dos veículos em 15 anos após a data de fabricação.

Além disso, os manifestantes estão insatisfeitos com a delimitação do percurso dos ônibus em, no máximo, 540 km e da quantidade de passageiros por veículo, que passa a ser de, no máximo, 50 pessoas.

De acordo com a categoria, a resolução da ANTT vai provocar desemprego, já que nem todos podem adquirir veículos novos. É o que garante Antônio de Alencar, um dos motoristas que estavam na manifestação.

“Aqui são mais de 10 mil pais de família que precisam deste trabalho. Se tirarem esse direito de trabalhar, o que vamos fazer? O meu carro, por exemplo, é de 1996, mas está bem conservado. O que eles têm que observar é o estado de conservação”, desabafa.

Para o motorista Fábio Bezerra, a norma não beneficia em nada os profissionais mais antigos. “Eu trabalho há mais de 20 anos como motorista. Não tenho outra fonte de renda. Se tirarem meu trabalho, que empresa vai querer me contratar? O mercado é muito fechado para os mais velhos”, pontua.

Participaram da mobilização até os motoristas com veículos novos, como Alderico da Silva, que se uniu aos demais profissionais para apoiar os colegas. “Apesar do meu veículo ser de 2004, estou aqui dando apoio aos meus colegas.

Não concordo com essa normativa. Não se avalia a qualidade de nenhum veículo assim”, destaca. Em nota publicada na página da ANTT, a Agência esclarece que, por meio da Resolução nº 4.777, passou a autorizar o fretamento de micro-ônibus e vans (de 8 a 20 passageiros) para o transporte de passageiros em viagens de até 540 quilômetros (interestaduais e internacionais).

Antes não era permitido que esses tipos de veículos fizessem transportes interestaduais e internacionais de passageiros. De acordo com a nota, a norma significa um avanço para o mercado ao aumentar consideravelmente a oferta de serviço. A Agência diz ainda que mantém abertos os canais de diálogo com o setor e tem analisado todas as manifestações que são encaminhadas.

Fonte: Virgínia Santos e Márcia Gabriele