"Opala Fogo" é revelada na Feira dos Municípios

"Opala Fogo" é revelada na Feira dos Municípios

Há grandes jazidas de Opala Fogo nas margens dos cânions do Rio Poti.

Quem já ouviu falar muito da opala de Pedro II pode se surpreender com a revelação, feita na Feira dos Municípios, de que o Piauí é também um grande produtor da Opala Fogo, denominação dada pelo fato de o minério ser vermelho.

Abundante nas terras e pedreiras localizadas nas margens dos cânions do rio Poti, na altura do município de Buriti dos Montes, a Opala Fogo pode trazer novas riquezas para o Estado por ser uma pedra muito atrativa e com potencial para atrair os apreciadores de joias.

O presidente da Cooperativa dos Mineradores de Buriti dos Montes, Antônio Zito da Silva, que está participando da feira, disse que há estudo comprovando que as jazidas de Opala Fogo são extensas e que têm potencial para gerar trabalho e renda na região.

Ele falou que o desafio é promover a extração da Opala Fogo e preservar ao mesmo tempo as margens dos cânions que são de uma beleza sem comparativo no Nordeste e, quem sabe, no país.

“Este tipo de opala é vermelha. Por isso, ela foi registrada como Opala Fogo. Para encontrar o minério é preciso escavar muito. Ela existe em grande abundância nas margens dos cânions do rio Poti e pode ser uma saída para muitas famílias que ainda vivem na linha da baixa renda ou até da pobreza. A extração da Opala Fogo será uma nova alternativa de trabalho para muitas famílias e uma riqueza infinita. Já saiu do município uma pedra de Opala Fogo de 5 quilos”, acrescentou Antônio Zito.

Outro minério registrado em abundância na região, segundo ele, é o cristal de rocha que, além de ser vendido em casas de produtos esotéricos, é muito usado como objeto de decoração. Diz a tradição que o minério traz bons fluidos para os lares.

Fonte: Djalma Batista, Jornal Meio Norte