Operação Rio Verde: Agespisa se pronuncia sobre a ação da Polícia Federal

Operação Rio Verde: Agespisa se pronuncia sobre a ação da Polícia Federal

A execução do mandado de busca e apreensão expedido pela Justiça Federal tem que ser cumprido e isso é absolutamente legal, disse o advogado

A empresa de Águas e Esgotos do Piauí S/A, fez um pronunciamento sobre a operação Rio Verde, deflagrada nesta quarta-feira, 30 e também sobre a qualidade com que é tratada a água que abastece Teresina.

Para o advogado, Joaquim Almeida, a prisão do diretor operacional da Agespisa, José Dias, e do engenheiro sanitarista, Kleto Barata, foi midiática e desnecessária.

?A minha posição é a mesma do juiz federal Dr. Flávio, que considerou a prisão ilegal. Do ponto de vista jurídico, qualquer prisão tem que ter um objetivo. Ou se quer preservar um inquérito que está sendo realizado, ou se quer cessar uma atividade criminosa imediatamente?.

Segundo o advogado todos os dados foram repassados. ?A poluição do rio, que acontece há décadas, é algo que faz parte do crescimento de uma cidade que, a exemplo de Teresina, tem apenas 17% de água tratada. A execução do mandado de busca e apreensão expedido pela Justiça Federal tem que ser cumprido e isso é absolutamente legal.?

A defesa da Agespisa assegura que ainda não teve acessos a inquéritos e nem a laudos, em razão do caráter sigiloso das investigações. ?Nós vamos acompanhar e ver o que está acontecendo. Enquanto isso, eu continuo tomando água da Agespisa?, encerra.

Fonte: Denison Duarte