Otan confirma avanço em megaofensiva no Afeganistão

Segundo autoridade, não houve mortes do lado das forças internacionais

O comandante das forças da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) confirmou neste sábado (13) que suas tropas fizeram uma "inserção de sucesso" na cidade de Marjah, província de Helmand, na maior ofensiva conjunta de soldados estrangeiros e afegãos desde a invasão ao Afeganistão, em 2001.

Segundo o general Nick Carter, os soldados ganharam o terreno rapidamente e conseguiram desarmar os insurgentes talibãs. Pelo menos 15 mil militares participam da operação conjunta, no sul do país. Segundo a agência de notícias Associated Press, pelo menos 20 militantes morreram e 11 foram presos. Já a agência France Press noticia a morte de cinco insurgentes.

O comandante das forças afegãs na região, Mohammad Zazai, classificou a resistência de "leve", informando que não havia registros de mortos ou feridos entre os soldados das forças internacionais.

O presidente afegão, Hamid Karzai, pediu às tropas que executassem o trabalho com "extremo cuidado para evitar danos aos civis". Em um comunicado ele também pediu aos insurgentes que usassem a oportunidade para reduzir a violência e se reintegrassem na vida civil.

A operação é a maior desde o começo da guerra no país, em 2001, e o grande teste da nova estratégia da Otan focada na proteção de civis. A ofensiva é também a primeira desde que o presidente Barack Obama ordenou o envio de mais 30 mil soldados americanos ao país.

Americanos mortos

A Otan confirmou a morte de três membros do serviço americano no sul do Afeganistão neste sábado (13), mas negou que as mortes tenham relação com a ofensiva em Marjah. Segundo a organização, os americanos morreram após um bombardeio.

Fonte: g1, www.g1.com.br