Paciente denuncia falta de médico no HUT

Paciente denuncia falta de médico no HUT

plantonista da noite saiu às 6h50 e o outro só foi chegar as 8h

A acompanhante de um paciente do Hospital de Urgência de Teresina, que quis ter seu nome preservado, está denunciando a falta de plantonistas no Hospital, no setor de Ortopedia, um dos mais movimentados do HUT, em alguns horários do dia. Segundo ela, na quinta-feira (20) da semana passada, o local ficou por mais de uma hora sem esse profissional.

"Pelo que me informei, o médico plantonista noturno cumpre seu plantão das 19h até as 7h do dia seguinte, quando deve entrar o médico plantonista diurno. Na quinta-feira passada, no entanto isso não aconteceu.

O plantonista da noite saiu às 6h50 e o outro só foi chegar as 8h. O local então ficou mais de uma hora sem esse médico. Essa foi a vez que eu presenciei, mas enfermeiros do hospital me disseram que isso acontece sempre", relatou. Ela afirma que comunicou o caso ao diretor técnico do hospital.

Ela afirma ainda que o médico que chegou atrasado para cumprir o plantão diurno a tratou com grosseria. "Eu fui perguntar-lhe que hora iniciava o plantão dele e ele ficou muito irritado, gritou comigo e deu várias versões para o atraso.

Primeiro ele disse que estava no centro cirúrgico, depois disse que ao se deslocar para o HUT o carro dele quebrou e depois falou para a minha mãe que foi assaltado a caminho do hospital.

O fato é que ele deixou o hospital sem um médico por muito tempo. Dessa vez o prejudicado foi o meu primo, que eu acompanhava nesse dia, mas amanhã pode ser eu ou qualquer outra pessoa", reclamou.

A direção do HUT informou que o setor de ortopedia, em dias da semana, possui três médicos plantonistas e enquanto um está de folga, dois ficam no hospital prestando assistência aos pacientes.

Já nas noites de sábado e domingo esse número sobe para quatro plantonistas, ficando três no hospital, enquanto um está de folga. Diante disso, casos como este relatado pela acompanhante de paciente, não deveriam acontecer.

"Para acabar de vez com qualquer possibilidade de casos como esses acontecerem a Fundação Hospitalar de Teresina está instalando ponto eletrônico nos hospitais da cidade, inclusive no HUT e com isso, eles terão que cumprir seus horários rigidamente.

No mês de novembro, esse ponto está funcionando de forma experimental, mas a partir de primeiro de dezembro, ele já vai funcionar de fato, para registrar o horário desses profissionais", disse o diretor do HUT, Gilberto Albuquerque.

Clique e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: Pollyana Carvalho