Denúncia: Paciente não é atendido pelo SAMU e FMS deve abrir inquérito

Denúncia: Paciente não é atendido pelo SAMU e FMS deve abrir inquérito

"Temos que prestar contas com a sociedade”, afirmou o presidente da Fundação Municipal de Saúde, João Rodrigues Filho

Com as denúncias de um rapaz de nome Vladmir contra o SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), o presidente da Fundação Municipal de Saúde, João Rodrigues Filho veio hoje ao programa Agora, da Rede Meio Norte, para falar sobre o caso. ?Vamos abrir um inquérito. Temos que prestar contas com a sociedade?, adiantou.

Vladmir tentava conseguir socorro para uma senhora, conhecida sua, através do SAMU, por telefone. Após, segundo ele, mais de dez tentativas, uma ?Doutora Rosa? atendeu, e se recusou a enviar uma ambulância. Segundo ela, o caso da senhora não correspondia ao tipo de ocorrência atendida pelo serviço. Em certo momento da gravação feita por Vladmir, ela afirma que se ela morrer, a culpa será dele, e que se fosse a mãe dela, a levaria para um hospital em seu carro. Vladmir não tem carro, nem tinha dinheiro para taxi ou outra condução. O nome da médica não consta nos registros de funcionários de SAMU.

João Rodrigues Filho atentou para o fato que isto é um fato isolado, e não deve manchar o trabalho do SAMU. Segundo ele, todo o treinamento necessário foi feito com esses profissionais, mas que infelizmente, ?casos lamentáveis? como este ainda podem acontecer, e que a humanização é um processo.

Agora, a fundação deve abrir inquérito para investigar o caso. ?Você pode ter certeza que eu não escutei isso feliz? afirmou o presidente.











Fonte: Andrê Nascimento