Padeiro de 57 anos morre após ter veia de varizes estourada

Homem morreu após tentar chegar sozinho ao hospital.

Um padeiro de 57 anos morreu na madrugada desta terça-feira (8) em Itanhandu (MG) por problemas decorrentes de varizes. Segundo a Polícia Militar, José Walter Nogueira passou mal quando ia para o trabalho e uma veia estourou. O padeiro ainda tentou chegar até a Santa Casa da cidade sozinho, mas como perdeu muito sangue, morreu ainda na rua. A distância do local onde ele havia caído até o hospital é de três quilômetros.

Segundo a Polícia Militar, ele foi encontrado por populares próximo à Igreja Matriz, na Rua Olavo Gomes Pinto, em um local também conhecido como Calçadão da Rua 7. Quem passava pelo local acionou os militares e a ambulância da Santa Casa. Os médicos do hospital constaram o óbito e a perícia da Polícia Civil de São Lourenço fez a remoção do corpo para o IML.

O padeiro é da cidade de Pouso Alto (MG) e ainda não há informações sobre o horário do sepultamento. O médico legista que constatou o óbito foi procurado, mas não foi localizado.

Sobre as varizes

Um vizinho do padeiro disse à PM que ele já fazia tratamento para varizes e que estava, inclusive, com uma cirurgia agendada. O médico legista que constatou o óbito foi procurado, mas até a publicação desta nota não foi localizado.

As varizes são veias dilatadas e tortuosas. O presidente da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular, Calógero Preste informa que existem casos de morte, inclusive quando as vítimas estão dormindo e podem coçar o local onde há a variz, o que faz com que ela estoure e sangre até causar a morte.

Um médico angiologista, que trata de varizes também foi consultado sobre o caso. De acordo com Luís Cunha, não é comum uma variz estourar, mas é possível que isso aconteça. Ainda segundo o médico, são raros os casos que o sangramento é intenso a ponto de provocar um choque hemorrágico e a pessoa morrer. Ele acredita que o caso registrado em Itanhandu tenha sido uma fatalidade. ?O que pode ter acontecido foi uma demora no atendimento, até mesmo por ter acontecido de madrugada e ele ter sangrado até morrer?, disse.

O angiologista orienta ainda que caso uma variz estoure e não haja ninguém por perto que possa acionar atendimento médico, a pessoa deve deitar-se com as pernas para cima e comprimir o local por 20 minutos para que o sangramento pare.

Segundo Luís Cunha, a incidência de varizes é quatro vezes mais frequente em mulheres do que em homens por conta dos hormônios femininos.

Fonte: G1